Sargento que fraudou sistema da Aeronáutica para ganhar folgas é condenado

·1 min de leitura
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
  • Ele será detido por 10 meses pelo crime de prevaricação

  • Irregularidades no sistema foram denunciadas por colegas

  • Decisão é do Superior Tribunal Militar

Um sargento da Aeronáutica teve sua condenação mantida pelo Superior Tribunal Militar (STM), após ser acusado de fraudar as escalas de serviço em benefício próprio, confirmando a sentença dada pela Auditoria Militar de Curitiba (PR). O réu foi condenado a 10 meses de detenção pelo crime de prevaricação.

O militar era responsável pela elaboração da escala de serviço de sargentos da Base Aérea de Florianópolis (SC) e, na época, se aproveitou de sua posição para fraudar o Sistema de Administração de Pessoal (SimS) e ter benefícios pessoais.

Sua movimentação foi notada por colegas, concorrentes na escala, que perceberam que trabalhavam mais que o sargento. Eles consultaram o SimS e o Livro de Armeiro e encontraram irregularidades na distribuição de tarefas.

Por exemplo, o réu lançou manualmente “lastros” no SimS para fraudar o controle dos serviços. Dessa forma, o sistema não iria compensar o menor número de escalas realizadas pelo denunciado.

O lastro é uma ferramenta de registro automático de um serviço de escala que permite que, por exemplo, militares em licença médica não precisem compensar todos os serviços não realizados no período de afastamento.

Em comparação com seus colegas, havia uma grande discrepância na quantidade de serviços realizados pelo sargento. Dessa forma, foi instaurada uma sindicância e um Inquérito Policial Militar (IPM) para apuração dos fatos.

A conclusão do inquérito demonstrou que o militar fez 16 lançamentos irregulares no sistema enquanto era o responsável pela Escala de Serviços dos Sargentos da Base Aérea.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos