Satélite da NASA registra erupção incrível de vulcão marinho

Foto divulgada pelo Operational Land Imager 2 (OLI-2) no satélite Landsat 9 mostra uma nuvem de água descolorida sendo emitida do vulcão submarino. (Observatório da Terra | NASA)
Foto divulgada pelo Operational Land Imager 2 (OLI-2) no satélite Landsat 9 mostra uma nuvem de água descolorida sendo emitida do vulcão submarino. (Observatório da Terra | NASA)
  • A agência espacial publicou uma imagem capturada pelo satélite Landsat 9

  • Na foto é possível ver um vulcão marinho entrando em erupção

  • Local é conhecido por abrigar ao menos duas espécies de tubarão

A NASA divulgou uma imagem capturada pelo Observatório da Terra. No registro, feito por um satélite, é possível ver um vulcão submarino em erupção.

A foto tirada pelo pelo Operational Land Imager 2 no satélite Landsat 9 mostra uma "nuvem" e água sem cor saindo do Kavachi nas Ilhas Salomão, no Oceano Pacífico. A agência espacial diz que o vulcão entra em erupção continuamente. Vapor e cinzas são frequentemente visíveis no local.

O programa Landsat é um dos empreendimentos mais antigos para a aquisição de imagens da Terra. A missão começou em 1972 e tem sido atualizada regularmente para capturar fotos de alta qualidade.

O vulcão foi apelidado de “Sharkano” (do inglês, tubarão + vulcão) depois que uma expedição ao local revelou que a cratera era um lar provável para duas espécies de tubarões, sugerindo que grandes animais marinhos podem existir em um ambiente extremo, tolerando água quente e ácida.

Na ocasião, os cientistas implantaram uma câmera de queda com isca a uma profundidade de 50 metros para espiar a cratera. Um cabeça-de-martelo e o tubarão-seda estavam entre as várias espécies de peixes vistas no local.

Um vulcão submarino é uma fissura na superfície da Terra que pode entrar em erupção. Geralmente localizados perto de placas tectônicas, esses vulcões respondem por 75% da produção de magma do planeta.

No início deste ano, uma erupção subterrânea perto da ilha de Tonga foi 500 vezes mais poderosa do que a explosão nuclear em Hiroshima.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos