Sauditas, consultora e bilionários indianos: quem são os investidores por trás da compra do Newcastle, confirmada nesta quinta-feira

·4 minuto de leitura

Um "novo rico" pode estar pintando no futebol. Nesta quinta-feira, o Newcastle confirmou sua aquisição por um grupo de empresários capitaneados pelo fundo de investimentos público da Arábia Saudita. As negociações, que duraram cerca de um ano e meio — e chegaram a ser desfeitas — foram concluídas após os sauditas comprovarem que o governo do país não controlará o clube.

O Public Investment Fund (PIF), fundo do tesouro saudita com capital estimado em 500 bilhões de dólares, assumirá 80% da operação de compra, que gira em tornos dos 300 milhões de libras (cerca de 2,25 bilhões de reais), segundo a emissora britânica "BBC".

O fundo é capitaneado por Muhammad bin Salman, príncipe herdeiro da coroa saudita. Para além das extravagâncias e polêmicas na vida pessoal, bin Salman é acusado pela morte brutal do jornalista Jamal Khashoggi, ex-correspondente do jornal "Washington Post", em 2018. Crítico do governo saudita, Khashoggi foi morto dentro da embaixada da Arábia Saudita na Turquia, quando tentava obter documentos para se casar. O jornalista nunca mais foi encontrado.

Um relatório de inteligência dos Estados Unidos concluiu, em fevereiro, que o príncipe, que tem grande controle da segurança e inteligência do país, é um dos responsáveis por uma operação pela captura e morte do jornalista. Sete homens que fariam parte de sua guarda oficial estariam ligados ao crime. Meses antes, a Arábia Saudita condenou sete pessoas à prisão pelo caso, mas não revelou suas identidades.

A presença de bin Salman nas negociações nunca foi bem vista pela Premier League e por uma parcela de torcedores, sob a suspeita de que o clube poderia ser utilizado como forma de maquiar as ações controversas tomadas pelo governo saudita. Daí veio a necessidade da comprovação de que não haverá controle.

"As discussões legais eram sobre que entidades seriam donas ou poderiam controlar o clube após a compra. Todas as partes envolvidas concordaram que esse acordo era necessário para encerrar a longa incerteza dos torcedores sobre o clube. A Premier League recebeu garantias legais de que o Reino da Arábia Saudita não controlará o Newcastle", diz comunicado da liga.

De acordo com o anúncio do clube, o príncipe não terá papel na diretoria do clube, por ora. Quem assume como presidente não-executivo é o governador e segundo no comando do PIF, Yasir Al-Rumayyan. Ele foi breve, em curto agradecimento aos torcedores no comunicado.

A entrada de outros empresário no processo foi outro facilitador da compra. Amanda Staveley, dona PCP Capital Partners, uma consultoria de investimentos que auxiliou os governos dos Emirados Árabes e do Qatar em operações financeiras na Europa, será uma das diretoras do clube. A inglesa Staveley, de 48 anos, já esteve envolvida em outra tentativa de compra do clube, há dois anos, e foi uma das facilitadores na operação de compra do Manchester City pelo xeque Mansour.

— Queremos criar uma filosofia de união, estabelecer uma proposta clara e prover liderança para que o Newcastle atinja objetivos grandes a longo prazo. Nossa ambição está alinhada à dos torcedores. Queremos criar um time de suceso consistente, que esteja competindo regularmente pelos principais títulos e que gere orgulho ao redor do mundo — prometeu a empresária.

Ainda segundo a "BBC", umas das principais barreiras para o negócio foi justamente um problema entre sauditas e qataris. Em meio a tensa relações diplomáticas, a beIN Sports, emissora do Qatar dona dos direitos de trasmissão da Premier League, era impedida de fazer transmissões na Arábia Saudita e acusava os sauditas de piratearem as partidas. A transação pode encerrar esse imbróglio.

Quem fecha a tríade de investidores por trás da "nova era" do Newcastle, como o clube vem tratando o processo em suas redes sociais, são os irmãos David e Simon Reuben. Indianos, os bilionários estão entre os mais ricos empresários do Reino Unido. São donos de edifícios, pistas de corrida e ações que somam cerca de 16 bilhões de libras, segundo estimativas da "Forbes". É o primeiro investimento direto dos discretos Reuben no futebol, que atuarão sob o braço da RB Sports & Media. Jamie será um dos diretores.

— Newcastle é uma cidade fantástica em que nossa família vem investindo pesado por muitos anos. Ser parte desse grande clube com torcedores incríveis é um privilégio. Vamos construir um clube da comunidade baseados no conhecimento da família sobre a cidade e de acordo com os planos que fizemos com a prefeitura para trazer um crescimento sustentável de longo prazo — afirmou Jamie.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos