Reinaldo Lourenço dá toque de glamour em uma SPFW sem luxo

Nayara Batschke

São Paulo, 24 abr (EFE).- O edifício Santos Augusta, localizado na esquina da Rua Augusta com a Alameda Santos, se transformou nesta terça-feira na passarela da coleção "Cinema" do estilista Reinaldo Lourenço, que deu um toque de glamour em uma São Paulo Fashion Week (SPFW) sem muito luxo.

Diante de uma edição que ainda transparece os efeitos da crise, os estilistas tiveram que reinventar propostas para seguir continuar a seduzir o público do principal evento de moda da América Latina.

A aposta de Lourenço com a coleção primavera/verão 2019, inspirada no cinema, foi romper as fronteiras físicas do evento e inserir os convidados em uma festa inspirada nos cineastas Luchino Visconti e Stanley Kubrick.

Através de um abundante uso de listras que se adequavam às silhuetas das modelos, a nova coleção combina um estilo ousado e contemporâneo com uma paleta de cores de preto, branco, vermelho e prata e tecidos clássicos, como couro, renda e seda.

O primeiro modelo a subir à passarela foi um conjunto no qual calças de cor creme e uma camisa branca foram sobrepostos por um cropped preto com listras brancas e pretas, acompanhado de um bolso quadrado de cor amarelo-lima.

O estilista cumpriu com precisão a proposta de transformar as três passarelas do edifício em cenários dos filmes "Morte em Veneza" e "De Olhos Bem Fechados", transportando os figurinos desses clássicos do cinema aos dias de hoje.

Se por um lado Lourenço tirou do diretor italiano a inspiração para os seus trajes geometricamente desenhados, por outro foi o tom enigmático e sedutor de Kubrick que intrigou os convidados.

A maquiagem exagerada das modelos que copiavam as inconfundíveis máscaras utilizadas pela seita de Tom Cruise no filme "De olhos bem fechados" realçaram a ousadia das transparências e seleção de tecidos escolhidos.

Uma modelo vestida de vermelho, com maquiagem branca e batom de cor de sangue foi a encarregada de atrair todos os olhares do público.

Em uma 45ª edição que vem sofrendo os efeitos dos cortes de orçamentos, Lourenço declarou à Agência Efe que não se vê afetado pela crise e defendeu que seguirá a sua linha de expressão nos próximos anos.

"Eu não dependo do orçamento do evento e tomara que no ano que vem também não. Eu tenho a necessidade de me expressar de uma maneira elegante e é isso que vai acontecer no ano que vem", contou.

Em uma apresentação sem tanto glamour, a estreante Modem, de Minas Gerais, dos estilistas André Boffano e Sam Santos, foi às passarelas com um estilo mais casual que apostou nas fortes tonalidades de vermelho, verde, amarelo e azul.

A estilista Fernanda Yamamoto, conhecida por combinar processos artesanais, materiais nobres e cores e texturas com uma finalização especial, também apresentará a sua nova coleção nesse quarto dia da São Paulo Fashion Week.

Além de Yamamoto, rosto já conhecido das passarelas sul-americanas, também desfilarão hoje o projeto Top 5, voltado a marcas de pequenos e médios empresários, Fabiana Milazzo, Memo e o estilista de moda praia de luxo Amir Slama.

A 45ª SPFW abriu as portas no último sábado com a Água de Coco, que levou ao desfile a cantora Anitta para interpretar a trilha sonora da coleção. EFE