SBT denuncia Globo e ameaça reprise de "A Favorita", entenda o caso

SBT provoca alteração na indicação da reprise de
SBT provoca alteração na indicação da reprise de "A Favorita" (Foto: Globo/Frederico Rozario)

O embate entre Globo e SBT, que por si só já daria uma boa trama, ganhou um novo capítulo por causa das novelas que ambas as emissoras costumam reprisar à tarde. Acontece que, de acordo com documentos obtidos pelo site Notícias da TV, a empresa de Silvio Santos denunciou a concorrente pela atual transmissão do sucesso "A Favorita", alegando que algumas cenas que vão ao ar são impróprias para a faixa vespertina.

Órgão do Ministério da Justiça responsável pela classificação indicativa dos programas de televisão, o DPJUS (Departamento de Promoção de Políticas de Justiça) mudou o selo da obra de João Emanuel Carneiro de "não recomendada para menores de 12 anos" para "imprópria para menores de 14 anos".

Mais: quando a Globo recorreu, o DPJUS teria ameaçado aumentar essa restrição para 16 anos, o que impossibilitaria a novela de continuar no mesmo horário, uma vez que isso significa que a produção contém alto teor de nudez, sexo, violência e palavrões.

A denúncia do SBT tem um motivo: os folhetins mexicanos e outras atrações estão na mira dos mais conservadores e há algum tempo a emissora tem tido dificuldades para mantê-los na grade. "Após recebermos constantes ofícios referentes à reclassificação etária de conteúdos exibidos pelo SBT, recebemos um questionamento de nossa Diretoria de Programação sobre conteúdos exibidos em outras emissoras, como, por exemplo, a novela 'A Favorita', da Rede Globo, classificada como 12 anos, porém, possui elementos claros de 14 anos", diz um e-mail enviado pela empresa ao órgão do governo.

"O SBT busca sempre estar de acordo com as exigências do MJ e, mesmo quando há divergências e recebemos os ofícios, fazemos as devidas alterações dentro do prazo estipulado. Porém, notamos que outros veículos não sofrem o mesmo monitoramento", conclui a emissora. Vale destacar que a Globo teria achado o desfecho injusto, uma vez que a versão analisada foi a original, e não a edição atual, mais leve.