Scholz e Biden concordam em não reconhecer ganhos territoriais pela Rússia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Chanceler alemão, Olaf Scholz
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BERLIM (Reuters) - O chanceler alemão, Olaf Scholz, e o presidente norte-americano, Joe Biden, concordaram em uma ligação telefônica nesta quinta-feira que não reconhecerão ganhos de território da Rússia na Ucrânia, disse um porta-voz da Alemanha em um comunicado.

Os dois líderes também denunciaram “comentários recentes da liderança russa buscando desacreditar a liderança democraticamente legítima da Ucrânia”, disse o porta-voz.

“Eles concordaram que a Ucrânia precisa de mais apoio substancial e contínuo à prática de seu legítimo direito à autodefesa”, acrescentou o porta-voz.

Biden “elogiou a assistência de segurança e a recente promessa de mais auxílio humanitário, assim como a parceria próxima deles durante esta crise”, disse a Casa Branca em seu comunicado sobre a ligação.

(Reportagem de Hans-Edzard Busemann em Berlim e Tim Ahmann em Washington)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos