Scooby explica 'apagões' no 'BBB 22' e motivo de ter aceitado participar do reality: 'Não entrei com foco na fama, dinheiro'

·4 min de leitura

Pedro Scooby, apesar de ter entrado como camarote do "Big Brother Brasil 22", surpreendeu muita gente. Isso porque o jeito tranquilão e algumas manias do surfista não eram conhecidas pelo público até sua passagem pelo reality. Uma delas, inclusive, virou meme na web e até piada na edição: os "apagões" ou "travadas" do ex-brother. Sobre esses momentos, ele explica:

— É muito louco porque, aqui fora, eu não era assim. Eu tinha alguns poucos momentos assim na minha vida. Mas, como meus pensamentos sempre foram bem alinhados, eu não tinha que ficar fritando a mente como no BBB, pensando no que estava acontecendo fora do confinamento, na minha família, acho que nunca tinha acontecido desse jeito. Nunca foi uma coisa tão perceptível. No BBB eu pensava muito em outras coisas. Então, quando o assunto não estava me interessando tanto, meu pensamento fluía para o que eu estava pensando no momento e, quando eu voltava, eu ainda estava no assunto de antes. E a galera deu risada! Mas eu acho muito engraçado porque é o meu jeito mesmo. Isso nunca me atrapalhou com nada, nem no surfe, nem com meus filhos, então está tudo certo (risos).

Veja também:

Para o marido de Cintia Dicker, o "BBB 22" foi "a experiência mais louca" que teve na vida. Enquanto estava sendo vigiado pelo Brasil inteiro, ele conta que teve momentos em que pôde olhar para si, algo que não tinha muito tempo de fazer com a rotina agitada aqui de fora. Além disso, fez amizades que vai levar para a vida, como Douglas Silva e Paulo André.

Por vezes, Scooby afirmou que estaria "tudo certo" se saísse do programa, algo lembrado por Tadeu Schmidt no discurso de eliminação do surfista. Por que, então, ele teria entrado no reality?

— Eu estava em um momento muito bom da minha carreira. Não entrei no BBB com foco ligado à fama, dinheiro ou qualquer outra coisa do tipo porque, graças a Deus, a minha carreira me levou para um lugar muito bom. Eu tive a tranquilidade de poder desfrutar do sucesso na minha carreira. Mas eu acredito muito no divino, na energia do que é para acontecer ou não na vida. Acho que o fato de essa chance de participar ter batido duas vezes na minha porta me fez parar para refletir. Eu comecei a pensar, realmente, em vários pontos que seriam positivos. Um deles é que minha vida pessoal foi colocada para muitas pessoas sem ser do meu ponto de vista, como eu sou de fato. De alguma forma, tinha muita gente que não me conhecia e eu quis dar oportunidade às pessoas que já me julgaram ou me julgam de me conhecerem de fato. De elas até me julgarem, mas sabendo como eu sou — explica Scooby.

Leia também:

O carioca saiu faltando poucos dias para a grande final, mas saiu com sentimento de dever cumprido.

— Claro, se entrasse R$ 1,5 milhão na minha conta eu ia ficar muito feliz! Mas tudo que eu tinha para viver ali, eu vivi; já estava satisfeito e me sentindo realizado — diz Scooby, que analisa o que teria faltado para que ele ficasse entre os finalistas: — Acho que não faltou nada, na verdade. Eu não tinha como ser uma pessoa diferente do que eu fui. Fui aquilo ali e era para ser aquilo. O meu maior prêmio foi quando eu comecei a encontrar as pessoas fora do BBB e, até hoje de manhã, todo mundo falou: “Você é meu campeão!”. Essa foi a minha vitória e é isso que eu vou levar para a vida.

Confira também:

"O 'BBB' me ensinou que a vida é irada, vamos curtir (risos)", diverte-se o ex-brother. Ele ainda afirma que, apesar de ter aprendido coisas e vivido experiências diferentes, se orgulha de ter saído como o mesmo Pedro Henrique Mota Viana que entrou na casa, que foi a vida inteira. Sobre as saudades, nesses meses todos de confinamento, ele conta:

— Dos meus filhos e da minha mulher. Da minha mãe e do meu irmão eu fui acostumado a viver longe por causa da minha carreira por esse mundão. Mas, agora pensando, acho que, na verdade, foi uma união de coisas. Eu participei de um outro reality, alguns anos atrás, mas que era de esporte, na selva, no mar. Dessa vez, fiquei longe de uma união de coisas que eu amava muito, as que eu mais amava na minha vida. Não tinha nenhuma para suprir a outra. Estava longe do surfe, longe da praia, longe do meu trabalho, da minha mulher, dos meus filhos, da minha família.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos