"Se acovardou": apoiadores rechaçam viagem de Bolsonaro para EUA

Presidente embarcou nesta sexta-feira (30) e está hospedado na casa do ex-lutador de MMA José Aldo

Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, em novembro de 2022 (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, em novembro de 2022 (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

Os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) têm usado as redes sociais para criticar ida dele aos Estados Unidos. O mandatário desembarcou na noite desta sexta-feira (30) em Orlando para passar férias, se hospedando em uma casa localizada em condomínio de luxo, de propriedade do ex-lutador de MMA José Aldo.

Bolsonaro não irá passar a faixa presidencial para o futuro presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em cerimônia marcada para ocorrer neste domingo (1º), em Brasília. Após live realizada nesta sexta-feira (30), seguidores do presidente criticaram o embarque apressado.

A viagem foi realizada em um avião da Força Aérea Brasileira, acompanhado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e de auxiliares e seguranças.

Segundo o portal UOL, os bolsonaristas também reclamam sobre a falta de apoio do presidente aos seguidores que ficaram acampados em frente a prédios das Forças Armadas pedindo um golpe militar para evitar a posse de Lula.

"Adiantou o senhor dizer Deus acima de todos? Não adiantou, presidente, você deu uma de frouxo", afirmou um apoiador. "Ele não foi homem suficiente para falar nada, ele se acovardou", criticou outro. "Bolsonaro, esperava tudo de você, menos covardia", lamentou um terceiro.

Antes de sair do país, Bolsonaro fez um pronunciamento de quase uma hora nas redes sociais por meio de sua tradicional live. Durante a transmissão, falou pela primeira vez do governo do presidente eleito Lula, chorou, se defendeu de críticas e condenou os atos terroristas ocorridos em Brasília.

Os apoiadores de Bolsonaro foram alvo de uma operação da Polícia Federal após incendiarem veículos e tentarem explodir uma bomba próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília. "Nada justifica, aqui em Brasília, essa tentativa de um ato terrorista, aqui na região do aeroporto de Brasília", disse o presidente.

Bolsonaro ficou recluso após perder as eleições de 2022 para Lula. Ele passou 37 dias sem fazer declarações até a realização de um discurso para apoiadores no Palácio da Alvorada, no último dia 9. Em seguida, novo silêncio até a realização de sua live de despedida.