'Se alguns de nós exagerou, foi no afã de buscar solução', diz Bolsonaro ao lançar plano de vacina

·1 minuto de leitura
Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro fez um discurso de conciliação com governadores nesta quarta-feira ao lançar o lano nacional de vacinação, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto. Bolsonaro disse que era um momento de "entendimento" e de paz" e disse que se algumas das partes "exagerou" duranta a pandemia foi "no afã de buscar solução".

— Se alguns de nós extrapolou ou até exagerou, foi no afã de buscar solução", diz Bolsonaro ao lançar plano de vacina — afirmou o presidente, após dizer que era um "honra" receber governadores no Planalto.

Na mesma linha, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, defendeu deixar no passado discussões anteriores:

— Qualquer fumaça, qualquer discussão anterior ficou na discussão. Estamos hoje afirmando que todos os brasileiros receberão a vacina de forma grátis, igualitária, proporcional. Vacina registrada, vacinas garantida com sua segurança e eficácia.

No sábado, o governo já havia apresentado uma versão preliminar do plano ao Supremo Tribunal Federal (STF). O texto dizia que o governo federal pretende imunizar 51,4 milhões de pessoas no primeiro semestre de 2021.

O documento também listava acordo para a aquisição de 100,4 milhões de doses do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford, AstraZeneca e a Fiocruz a serem entregues até julho de 2021, além de mais 30 milhões de doses no segundo semestre. Também foi informada a aquisição de 42,5 milhões de doses por meio da iniciativa Covax Facility e uma "negociação" de 70 milhões de doses do imunizantes da Pfizer.

Não foi listado o memorando de intenção de compra assinado com o Instituto Butantan para aquisição da CoronaVac, desenvolvida em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Mas o material deixa aberta a possibilidade de inclusão de outros imunizantes