Se for ao shopping não beba café: estudo mostra que consumo da cafeína está relacionada à impulsividade durante as compras

O café é uma das bebidas mais consumidas pelo Brasileiro. Quem não gosta de começar o dia tomando o bom e velho café preto? Ou depois do almoço, no lugar de uma sobremesa? Além de dar energia, a cafeína é o estimulante mais popular do mundo encontrada em chás, refrigerantes, cafés e bebidas energéticas. Pesquisadores do sul da Flórida, entretanto, descobriram que a bebida está relacionada diretamente com o aumento do consumismo.

Caso Gleycy Correia: mortes por cirurgia nas amígdalas são 'extremamente raras'; entenda

Exclusivo: 'Vivi o horror', desabafa Luciano Szafir em entrevista sobre as três internações por Covid e o risco de morrer da doença

Entrevista: 'Os transtornos mentais ocorrem em diferentes graus', diz psiquiatra

“A cafeína, como um poderoso estimulante, libera dopamina no cérebro, o que excita a mente e o corpo. Isso leva a um estado energético mais alto, que por sua vez aumenta a impulsividade e diminui o autocontrole”, explica o pesquisador Dipayan Biswas.

Biswas e seus colegas fizeram um experimento para comprovar a teoria. O conhecimento consistia em instalar uma máquina de café expresso nas entradas de três lojas: As duas primeiras, uma de varejo e outra focada em artigos do lar, localizadas na França. A terceira, uma loja de departamento na Espanha. Cerca de 300 clientes receberam uma xícara de 100 mg de café de cortesia e os outros receberam bebidas descafeinadas e água. No final, eles compartilhavam seus recibos de compra com os pesquisadores.

Eles descobriram que os compradores que eram estimulados pela cafeína gastavam 50% a mais na hora das compras e escolhiam cerca de 30% mais itens do que aqueles que bebiam água ou bebidas descafeinadas. A bebida também influenciou os tipos de item que eles compravam. Aqueles que tomaram café, por exemplo, compravam mais tens não essenciais, como velas perfumadas e fragrâncias, do que os outros compradores que se mantinham firmes e objetivos nas compras.

Os pesquisadores ainda montaram um quarto experimento em laboratório para checar se teriam resultados semelhantes em relação às compras online. Eles dividiram um grupo de 200 alunos de escolas de administração entre indivíduos que consumiram café com cafeína e descafeinado e pediram que escolhessem quais itens comprariam de uma lista pré-selecionada de 66 opções.

Tecnologia: Pulseira inteligente consegue identificar Covid-19 até dois dias antes do surgimento de sintomas, revela estudo inédito

O resultado foi semelhante. Aqueles a base de bebidas com cafeína escolheram mais itens na base da impulsividade, como um massageador. Enquanto os que não estavam a base de cafeína escolheram menos itens e foram mais práticos nas suas compras, escolhendo apenas o necessário, como um caderno ou caneta.

Apesar do estudo mostrando a relação do café com a impulsividade na hora das compras, não há pesquisas sobre como o consumo de café ou outras bebidas cafeinadas pode influenciar o comportamento das pessoas na hora de gastar com produtos.

Ou seja, se for comprar, não beba café. E nada de ter aquela pausa para o cafezinho da tarde no shopping. “Embora quantidades moderadas de ingestão de cafeína possam trazer benefícios positivos para a saúde, pode haver consequências não intencionais de consumir cafeína durante as compras”, disse Biswas. “Ou seja, os consumidores que tentam controlar os gastos impulsivos devem evitar consumir bebidas com cafeína antes de fazer compras.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos