'Se não me casar com você, viro padre', disse Bergoglio à namorada

O novo papa reza missa na Capela Sistina no Vaticano, 14 de março, 2013

"Se não me casar com você, viro padre", disse Jorge Mario Bergoglio à sua ex-namorada, Amalia, há mais de 60 anos, segundo declarações feitas pela da mulher nesta quinta-feira aos jornalistas que queriam saber algo sobre o romance do hoje Sumo Pontífice quando era jovem.

A mulher, de biotipo pequeno, óculos e cabelos brancos, disse que os dois namoraram a quando tinham seus 10 ou 12 anos, quando o agora papa Francisco, com 76 anos, lhe entregou uma carta.

"Na cartinha, tinha desenhado uma casinha de teto vermelho e paredes brancas e escrito: 'Esta casinha é a que vou comprar para você quando nos casarmos'", relatou a mulher na calçada de uma rua no bairro portenho de Flores, onde os dois nasceram.

O presente inocente foi recebido como um escândalo pela família de Amalia.

"Minha mãe foi me buscar na escola e me disse: 'Então você recebe cartinhas de rapazes!', e rasgou a carta", lembrou.

A partir desse momento, os pais da menina fizeram o possível para afastá-la de seu pretendente precoce que, como tinha prometido, acabou entrando no seminário.

"Não tenho nada a esconder, foi uma coisa de criança e tão limpa!", disse a mulher, rodeada por microfones e câmeras de televisão.

Bergoglio, ex-arcebispo de Buenos Aires e primaz da Argentina, foi eleito Papa na quarta-feira e é o primeiro sacerdote latino-americano a ocupar o trono de Pedro.