"Se o ministro não tem opinião sobre isso estamos muito mal", diz Tasso sobre Queiroga na CPI da Covid

·1 minuto de leitura
Queiroga
Queiroga

Questionado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre tratamento precoce durante depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não respondeu e causou irritação de parlamentares.

"No momento oportuno ela será dada", disse Queiroga.

"Se o ministro não tem opinião sobre isso estamos muito mal", afirmou Tasso.

O relator Renan Calheiros (MDB-AL) se irritou diversas vezes com a falta de respostas objetivas do chefe da Saúde. Queiroga afirmou que “vários sistemas de saúde do mundo tiveram dificuldade” no enfrentamento da crise sanitária.

“Não dá para comparar porque nenhum chefe de Estado chamou a Covid de gripezinha”, rebateu Renan.

O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), também insistiu: “Recomendo que o senhor responda, cargos passam. A história fica. E pelo andar da carruagem, se troca de ministro da Saúde como se troca de camisa”.

Pressionado por Renan Calheiros sobre o motivo do colapso na saúde, Queiroga culpou a “imprevisibilidade biológica” e a falta de fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o ministro, não houve pressão do governo federal para uso da cloroquina e ele não teve conhecimento de distribuição do medicamento em sua gestão.

“Não tratei com presidente sobre protocolos e remédios. Houve um compromisso de usar os recursos públicos para atender a população e formar um corpo técnico”, disse Queiroga.

Não autorizei e não tenho conhecimento de que esteja havendo distribuição de cloroquina na minha gestão”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos