'Se seguir conselhos de Bolsonaro, São Paulo vai explodir igual em Milão', diz Covas

Thiago Herdy
Prefeito Bruno Covas anuncia medidas de combate ao coronavírus em São Paulo

SÃO PAULO - Dirigente da maior cidade e epicentro da contaminação de coronavírus no país, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), pede à população da cidade que não ouça o que diz o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a necessidade de isolamento social dos que podem ficar em casa, para evitar uma tragédia. “Se as pessoas forem seguir os conselhos do presidente, que não tem nenhuma base científica, a situação em São Paulo vai explodir como em Milão”, alerta o prefeito. Ele admite faltar testes da convid-19 na cidade onde já morreram oficialmente 121 pessoas e também haver subnotificação de óbitos, por causa da lentidão de resultados de testes. Há pelo menos duas semanas, ele levou a cama de casa para o espaçoso gabinete na sede da prefeitura, no centro da capital paulista, lugar onde passou a morar com o filho de 14 anos.

A postura do presidente Bolsonaro perante o coronavírus tem ajudado ou atrapalhado?

Tem atrapalhado. Fazemos aqui o que apontam os médicos, cientistas e pesquisadores. Você sabe o que significa em meu currículo, como prefeito, fechar o parque do Ibirapuera, um cartão postal da cidade? As falas do presidente confundem. Há confusão dentro do próprio governo dele, o presidente fala uma coisa, ministro fala outra. Ele deveria reforçar a importância das pessoas colaborarem com o isolamento social.

Se as pessoas resolverem seguir os conselhos do presidente Bolsonaro, haverá sobrecarga nos hospitais?

Não tenho a menor dúvida de que se as pessoas forem seguir os conselhos do presidente, que não tem nenhuma base científica, a situação em São Paulo vai explodir como em Milão.

(Confira a íntegra da reportagem exclusiva para assinantes)