Seap apreende quatro celulares na galeria de 'Faraó dos Bitcoins", que é transferido para o presídio de segurança máxima Bangu 1

·1 minuto de leitura

RIO — Quatro aparelhos de celulares foram encontrados, nesta terça-feira, nas celas e galerias onde o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos, conhecido como "Faraó dos Bitcoins", está preso. A vistoria na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo de Gericinó, foi feita pela Corregedoria da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). De acordo com as informações, que chegaram pelo Disque-Denúncia, Glaidson e Tunay Pereira Lima, outro preso detido pela Operação Kryptos da Polícia Federal (PF), no dia 25 de agosto, estariam usando os celulares dentro da cadeia.

Os dois presos serão transferidos para a penitenciária de segurança máxima Laércio da Costa Pellegrino (Bangu 1) até que sejam concluídas as apurações da Corregedoria. A denúncia foi analisada pela Superintendência de Inteligência (Sispen) da Seap. Além dos aparelhos, foram apreendidas peças de carne "in natura". O secretário de Administração Penitenciária, Fernando Veloso, determinou que a direção da unidade, incluindo diretor, subdiretor e chefe da segurança) seja exonerada. O material apreendido foi levado para 34ª DP (Bangu)

Na semana passada, a Seap já havia encontrado celulares na cela vizinha a de Glaidson. A Corregedoria da Seap está ouvindo policiais penais da Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, além da direção. Existem informações de que cada aparelho estaria sendo oferecido por R$ 50 mil ao ex-garçom, para que ele continuasse tocando os negócios de dentro da cadeia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos