Sebrae lança programas de apoio a 2.500 pequenos negócios do estado do Rio

Ana Clara Veloso
·2 minuto de leitura
Redução de custos e aumento de faturamento são temas dos projetos

O Sebrae Rio vai selecionar, neste trimestre, cerca de 2.500 pequenos negócios, inclusive microempreendedores individuais, em todo o estado, para 38 projetos de apoio. A participação é paga, mas como o subsídio ao acesso varia de 70% a 95%, o custo para o dono da empresa atendida é reduzido.

Os projetos incluem consultorias, instrutorias, oficinas e rodadas de negócios. E um dos motes centrais deve ser a busca pela digitalização, identificada como uma dor recorrente durante as conversas realizadas pelo Sebrae com empresários, durante a pandemia.

— Antes do coronavírus, quase todos os empresários sabiam que era necessário fazer essa adaptação para o digital, mas muitos resistiam, adiavam ou não sabiam como fazer. Então os projetos têm essa vertente forte que é olhar para cada empresa e pensar como digitalizar o negócio, que vai além de vender na internet. É ter planilhas, um canal de comunicação com o cliente... — exemplifica Ana Lucia Lima, gerente de Projetos do Sebrae Rio.

Já estão abertas as inscrições para participar dos projetos de panificação e confeitaria; instalações prediais (construção civil); indústria moveleira; indústria gráfica; indústria de moda; beleza & estética; varejo de Moda (Região Metropolitana do Rio e Cabo Frio); produção rural (regiões Noroeste, Serrana e Centro Sul); metal mecânico, alimentação fora do lar (Paraty), e de comércio multissetorial. Cada edital tem requisitos, como tempo e maturidade do MEI, micro ou pequena empresa. Para saber mais, clique aqui.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)

No início dos projetos, serão pactuadas metas para o desenvolvimento de cada empresa ao longo de seis meses ou um ano — dependendo do edital. As etapas dos programas têm ações coletivas e individuais, para alcançar esses objetivos.

— Vai muito além da digitalização, trabalhando os objetivos dos negócios, seja atrair clientes, reduzir custos, aumentar faturamento, inovar em processos ou em produtos a serem lançados, trabalhar com indicadores de gestão — explica Ana Lucia.

Ainda serão lançados editais para agências e operadoras de viagem; artesanato; audiovisual; design; ensino; meios de hospedagens; música; restaurantes, bares e lanchonetes; scaleup, startups; além de projetos para empresas que atuam com negócios de impacto social.