Sebrae: Vacinar 3 milhões por dia adiantaria recuperação econômica para agosto

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
A high end restaurant reopens after the 2010 Covid-19 lockdown, with measures in place to protect staff and customers.
Bares e restaurantes retomariam ganhos que tinham antes da pandemia até 11 de outubro
  • Estudo do Sebrae mostra que para economia retomar patamar pré-pandemia três milhões de brasileiros precisariam ser vacinados por dia até 24 de maio

  • Com isso 54% dos negócios conseguiriam retomar o faturamento até 18 de agosto

  • Previsão de melhora para os setores de turismo e economia criativa seria só para 2022

Para o retorno da economia ao patamar pré-pandemia ainda em agosto deste ano, três milhões de brasileiros precisariam ser vacinados por dia até 24 de maio, segundo um estudo do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). As informações são do iG.

Leia também:

Nesse cenário, além da recuperação do faturamento, 100% dos profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e adultos com mais de 40 anos chegariam a 18 de agosto imunizados. A segunda dose da vacina para quem tem mais de 25 anos já viria até 11 de outubro. 

Com essa medida, 54% dos negócios (9,5 milhões de empresas) conseguiriam retomar o faturamento até 18 de agosto, segundo o estudo. Bares e restaurantes, por exemplo, retomariam os ganhos que tinham antes da pandemia da covid-19 até 11 de outubro.

A previsão de melhora para os setores de turismo e economia criativa seria só para 2022, já que a a maior parte das pessoas devem evitar aglomerações, mesmo vacinadas. 

“Sabemos que a vacina é o único meio capaz de devolver a economia ao eixo da normalidade. Por isso, apoiamos todas as iniciativas que têm sido adotadas para ampliar a disponibilidade de vacinas para a população. Quanto mais rápido imunizarmos todos os brasileiros, mais rápida será a retomada dos pequenos negócios”, diz o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Consequências da pandemia

Cerca de 5,3 milhões de pequenas empresas precisaram se adaptar desde o início da pandemia. Em 2020, 10,1 milhões fecharam temporariamente e 700 mil pequenas e médias empresas fecharam definitivamente, segundo o Sebrae. 

“Nossa expectativa é que, no momento em que a população esteja vacinada, muitos empreendedores que fecharam as portas por conta da crise resolvam abrir novas empresas, assim como devem surgir novos empresários, movidos pelas oportunidades que serão criadas nesse novo momento da sociedade e da economia”, avalia Carlos Melles.