Parada do Orgulho LGBT de São Paulo reúne multidão na Avenida Paulista

São Paulo, 18 jun (EFE).- Milhares de pessoas foram neste domingo à Avenida Paulista para participar desde o início da 21ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que deve reunir 3 milhões de pessoas na Avenida Paulista.

Os organizadores disseram que, por causa da multidão que já estava esperando a saída do primeiro dos 19 trios que partirão do Museu de Arte Moderna de São Paulo (Masp), é muito provável que a previsão de público seja superada.

Caso essa projeção seja confirmada, a Parada de São Paulo se confirmará como o maior evento da comunidade LGBT do mundo.

Neste ano, o desfile foi convocado com o lema "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todos e todas por um estado laico". O objetivo é criticar a intromissão das religiões na política em um país como o Brasil, que se declara laico.

A presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, Claudia Regina, afirmou no início do evento que a discussão é necessária devido às constantes agressões que os homossexuais sofrem por parte de fundamentalistas religiosos.

"Nossos principais inimigos hoje são os fundamentalistas religiosos, grupos de pessoas dentro de algumas religiões que insistem em nos condenar e nos retirar direitos adquiridos", disse.

A ativista disse que são os parlamentares que representam grupos religiosos que adotam os discursos mais homofóbicos nos debates no Congresso sobre os direitos da comunidade LGBT.

"Muitos desses deputados religiosos e conservadores aproveitam a imunidade parlamentar para disseminar o ódio entre uma parte da população", afirmou Cláudia.

Os 19 trios elétricos que animarão o desfile neste domingo terão a presença de cantoras como Anitta, Daniela Mercury e Naiara Azevedo. Segundo a Prefeitura de São Paulo, a Parada do Orgulho LGBT é, junto com o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, o evento que mais atrai turistas para a cidade.

Dos 3 milhões de participantes do evento no ano passado, 3,6% eram turistas estrangeiros e 20% vieram de outras cidades do Brasil.

Os cerca de R$ 45 milhões que se espera que os turistas gastem em São Paulo neste ano levaram a Prefeitura de São Paulo a manter o apoio de R$ 1,5 milhão ao evento. EFE