Seca de vitórias e cansaço físico: como está o Real Madrid a duas semanas do Mundial

Enquanto a torcida do Flamengo pede "o mundo de novo", o clube tem um grande desafio pela frente: deixar para trás o todo-poderoso Real Madrid, atual campeão da Champions e do Espanhol e adversário provável na decisão do Mundial de Clubes. Mas se em 2022 os merengues foram inquestionáveis na campanha, o mesmo não pode ser dito do futebol apresentado depois da Copa do Mundo do Catar. O time venceu apenas um jogo, da Copa do Rei, em três partidas. O atropelo do Barcelona no domingo, ao conquistar a Copa da Espanha, acendeu de vez os alertas no Santiago Bernabéu — fato muito comemorado pela torcida rubro-negra.

Carioca: O que já foi possível ver de novo no Flamengo de Vitor Pereira

Carros, relógios e versos: como Piqué e Shakira vivem uma guerra fria após a separação

Após a partida, o treinador Carlo Ancelotti afirmou que a derrota foi "dolorida" e reconheceu que a equipe não está no seu auge:

— É um momento complicado, difícil, que acontece durante uma temporada. É um momento de dificuldade que devemos resolver com empenho, e rápido, com a mesma postura de sempre. O time está machucado, muito, porque geralmente ganha as finais. Mas temos todos os recursos para melhorar, para resistir. Para ter mais de tudo. O Madrid vai voltar, não tenho dúvidas.

A falta de intensidade do Real foi um dos fatores que mais chamou atenção durante a partida. A Copa do Mundo do Catar parece ter suas consequências até hoje, com os jogadores não conseguindo voltar para o futebol de alto nível que apresentavam antes da competição. A primeira chance de gol dos merengues foi apenas aos 24 minutos do segundo tempo, tarde demais para reverter os 2 a 0 que o Barcelona impôs.

Cofre cheio: Amistoso do PSG na Arábia Saudita renderá mais de R$ 50 milhões ao clube francês

Ajuda: Presidente do Shakhtar doará 25 milhões de euros da transferência de Mudryk aos soldados ucranianos

O principal jogador da equipe, Karim Benzema, ainda não se recuperou totalmente da lesão na coxa esquerda que sofreu na preparação para a Copa. Ele esteve em campo em todos os minutos dos duelos do Real em 2023, mas não conseguiu voltar ao nível que lhe rendeu a Bola de Ouro em 2022. Apesar disso, foi ele quem marcou, já aos 48 minutos do segundo tempo, o gol de honra merengue, que impediu que uma crise ainda maior se abatesse sobre o clube.

Enquanto isso, do outro lado do Oceano, o Flamengo reencontrou jogadores e torcida em um domingo iluminado — os termômetros no Rio de Janeiro passaram dos 40 graus — no Maracanã. A equipe, que mantém a mesma base da temporada vencedora de 2022, conta ainda com a volta do volante Gerson e a chegada do novo treinador, Vítor Pereira. Ainda é cedo para falar sobre o trabalho em 2023, mas a final contra o Palmeiras, na Supercopa do Brasil, no dia 28, pode ajudar a medir o nível técnico e tático do time para a temporada. Até lá, os rubro-negros acompanham, com uma dose extra de esperança, o que acontecerá na Espanha.