Secretária de energia dos EUA se opõe a pagamentos de ransomware

·1 minuto de leitura

WASHINGTON (Reuters) - A secretária de Energia dos EUA, Jennifer Granholm, disse neste domingo que se opõe às empresas que pagam criminosos de ransomware e disse que as empresas alvo de ataques cibernéticos precisam alertar o governo federal.

Os adversários dos Estados Unidos têm a capacidade de desligar a rede elétrica do país, disse Granholm, dizendo que há "milhares de ataques em todos os aspectos do setor de energia".

A pressão está aumentando tanto para o governo dos EUA quanto para o setor privado para melhor proteção contra ataques cibernéticos após um ataque ao maior frigorífico do mundo no último fim de semana e outro em maio visando o maior oleoduto de combustível dos Estados Unidos.

"Todos nós temos que melhorar nosso jogo no que diz respeito às defesas cibernéticas", disse ela em entrevista à CNN.

O "resultado final é, pessoas - sejam do setor privado, público, o que for - vocês não deveriam pagar ataques de ransomware, porque isso apenas encoraja os bandidos."

Em uma entrevista separada neste domingo, Granholm disse que embora se oponha a tais pagamentos, ela não tem certeza se o presidente dos EUA, Joe Biden, ou o Congresso está preparado para tornar os pagamentos de ransomware ilegais.

As empresas deveriam ser obrigadas a relatar ataques de ransomware, disse o senador democrata Mark Warner, da Virgínia, em entrevista à NBC neste domingo, embora não tenha dito que apoiava a ilegalidade de tais pagamentos.

(Por Chris Prentice)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos