Secretário da Aliança pelo Brasil diz que fichas de apoio na internet são falsas

Amanda Almeida

BRASÍLIA - Aliado de Jair Bolsonaro, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga divulgou vídeo, neste domingo, em que informa que a Aliança pelo Brasil, partido que o presidente da República e seu grupo político pretendem criar, ainda não começou a recolher assinaturas de apoiamento. O aviso é dado porque, segundo ele, há fichas falsas para cadastros de apoiadores circulando em redes sociais.

Gonzaga é o secretário-geral da Aliança pelo Brasil, que foi lançado na semana passada. Ao GLOBO, o ex-ministro do TSE disse que o grupo ainda cumpre "formalidades" e passará a recolher assinaturas nas próximas semanas.

- Já estão pedindo dinheiro e botando ficha falsa, como se houvesse uma campanha de apoiamento. Nosso cadastro de apoiadores será feito em momento posteriores e vai ser via oficial, pelo nosso site. Nós pretendemos usar a biometria - diz Gonzaga, reforçando que qualquer ficha de apoio ao partido em circulação hoje é falsa.

No vídeo distribuído nas redes, com um minuto e meio, Gonzaga diz que as fichas falsas foram produzidas por "pessoas que não querem o nosso sucesso".

- Vocês terão toda a segurança de que nossos apoiadores serão aqueles que são realmente nossos aliados - finaliza.

Bolsonaro optou por tentar criar um partido depois de romper com o presidente do PSL, Luciano Bivar, no início do mês passado, quando disse a um apoiador, na porta do Palácio do Alvorada, que o deputado federal está "queimado". Bolsonaro ainda pediu ao homem, que pediu para gravar um vídeo com ele, que "esquecesse" o PSL.