Secretário de Saúde diz que Rio está pronto para vacinar a população contra a Covid-19

Gilberto Porcidonio
·2 minuto de leitura
Foto: Márcia Foletto / 25.09.2020 / Agência O Globo

Em uma entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (5) para anunciar mudanças no painel de informações sobre o coronavírus do governo, o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, afirmou que o Rio está pronto para imunizar a população quando houver vacina contra a Covid-19 disponível. Ele afirmou que o estado está com os insumos, como seringas e agulhas, em ordem, além da compra de 50 câmaras frias — sob o preço de R$ 200 mil cada uma — para as vacinas que ainda estão em processo de compra:.

— As campanhas de vacinação sempre foram exitosas no Brasil mas, infelizmente, a política de saúde não é a política da saúde, esse é o grande problema. Essa discussão de se fazer emergencial deu no que deu aí, essa vergonha nacional. Outra coisa importante é o problema da compra em excesso. Hoje são compras escalonadas porque não tem nem espaço para colocar. O que deu agora no Maracanã (hospital de campanha), quando fechei agora com sete depósitos de material vencido ou perto de vencimento — disse ele.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou a entrevista coletiva, em sua sede, para explicar a nova versão do Painel do Coronavírus que entrou no ar no dia 1º. De acordo com a pasta, a forma com que as informações sobre a Covid-19 no Rio de Janeiro passarão a ser divulgadas está mais acessível e com uma apresentação simplificada.

Além de Carlos Alberto Chaves, a subsecretária de Vigilância e Saúde, Cláudia Mello, o médico Alexandre Kiep, o secretário de Saúde da capital, Daniel Soranz, e Luciane Velasque, da coordenação de informação e saúde, estiveram presentes e deram explicações sobre o novo sistema.

O estado registrou 4.262 casos e 220 mortes pela Covid-19 nesta terça-feira. Ao todo, já foram confirmados 412.436 infectados e 25.837 óbitos pela doença desde o início da pandemia, em março. Na regulação de toda a rede estadual de saúde, 227 pacientes aguardavam na fila por transferência para vagas exclusivas para tratamento do novo coronavírus, sendo 133 para UTIs. A média móvel diária ontem foi de 2.478 casos e 108 mortes. O aumento de 14% no número de óbitos indica tendência de estabilidade, por estar abaixo de 15% de crescimento.