Secretaria de Governo de Bolsonaro se reuniu com organizadores dos atos de 7 de setembro

·2 minuto de leitura
Supporters of Brazilian President Jair Bolsonaro attend a military vehicles parade in front of the Planalto Palace in Brasilia, on August 10, 2021. - Bolsonaro is accused of using the armed forces for a show of force to intimidate National Congress, where a bill is being debated to modify the electronic voting system. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Presidente Jair Bolsonaro tem feito convocações para que apoiadores vão aos atos de 7 de setembro (Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
  • Nos dias 10 e 11 de agosto, a secretária Gabriele Araújo, da Secretaria Especial de Articulação Social, recebeu organizadores dos atos de 7 de setembro

  • Todos que compareceram nos encontros são alvos de investigação da Polícia Federal pela organização de atos antidemocráticos

  • Entre os presentes, estava Antonio Galvan, presidente da Aprosoja

Dias antes de a Polícia Federal realizar uma operação que teve como algo o cantor Sérgio Reis e o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), os organizadores das manifestações de 7 de setembro se reuniram no Palácio do Planalto. Eles são investigados pela promoção de atos antidemocráticos, que acontecerão em diferentes pontos do Brasil na próxima semana. A informação foi revelada pelo portal UOL.

Os encontros aconteceram na Secretaria Especial de Articulação Social, que está sob o guarda-chuva da Secretaria de Governo, comandada por Flávia Arruda. As reuniões, que aconteceram nos dias 10 e 11 de agosto, estavam na agenda oficial da secretária de Articulação Social, Gabriele Araújo.

Leia também:

A Procuradoria-Geral da República investiga se o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) participou do planejamento das manifestações. O próprio presidente tem feito convocações para os atos de 7 de setembro. Entre as pautas, os manifestantes pedirão o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal.

Segundo o UOL, a reunião do dia 10 de agosto aparece como um encontro com o “movimento Brasil Verde e Amarelo”, grupo de sindicatos e associações rurais. Em maio, o grupo já havia convocado uma manifestação de apoio a Jair Bolsonaro em Brasília. Na ocasião, eles pediam a volta do voto impresso. Esteve presente no encontro Antonio Galvan, presidente da Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja).

Ao portal, a Secretaria de Governo afirma que tem a Secretaria Especial de Articulação Social tem a obrigação de “receber todas as organizações da sociedade civil que solicitam atendimento”. Galvan também confirmou o encontro, mas não revelou o tema tratado entre as partes.

Galvan já depôs à Polícia Federal em Sinop, no Mato Grosso.

No dia seguinte, 11 de agosto, a secretária Gabriele Araújo recebeu três ativistas – todos foram alvo da PF alguns dias depois do encontro. Estavam no encontro Turíbio Torres, Juliano Martins e Marcos Antônio Pereira, conhecido como Zé Trovão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos