Sede da prefeitura do Rio passará a utilizar energia de fontes renováveis como solar e eólica

A prefeitura do Rio publica nesta sexta-feira (11) o edital para realização de pregão que vai permitir que o Centro Administrativo São Sebastião (CASS), passe a usar preferencialmente energia de fontes renováveis como a eólica e a solar. A previsão é de que o pregão seja realizado em 10 de dezembro e a expectativa é que já no início do próximo ano a sede do poder municipal já esteja recebendo a eletricidade dos novos fornecedores. De acordo com o menor preço pesquisado no mercado para elaboração do edital, a mudança representará uma economia de pelo menos R$ 4,5 milhões por ano nas contas públicas.

— Todos ganham com este projeto: o município, que economiza ao abrir mais opções para compra de energia; os cidadãos, que verão a melhor aplicação do seu dinheiro pago em impostos; e o meio ambiente, com a adoção de energia limpa e renovável — disse Andrea Senko, secretária municipal de Fazenda e Planejamento.

Existem atualmente no mercado cerca de 500 empresas varejistas no ramo do fornecimento de energia com preços que chegam a ser 41% menores que a tarifa normal cobrada pelas concessionárias do setor. O objetivo é ampliar o projeto piloto para outras estruturas do município, como hospitais, escolas e empresas públicas

— Além da sede da Prefeitura, estamos estudando a implantação da energia verde em outros 20 equipamentos municipais, com uma estimativa de economia de R$ 32 milhões anuais — projeta Roberta Guimarães, subsecretária de Gente e Gestão Compartilhada da secretária de Fazenda e Planejamento (SMFP).

O projeto pioneiro de compra de energia verde será apresentado pela prefeitura durante a Rio Innovation Week — evento voltado para a área de tecnologia, empreendedorismo e inovação que acontece no Pier Mauá. A experiência será tema do painel “Eficiência Energética: primeira prefeitura a comprar energia limpa” marcado para esta sexta-feira às 10h15.

— Somente com uma mudança de compra de energia, o valor que vamos economizar em um ano é o suficiente para investir na contratação de aproximadamente 30 equipes de saúde da Família, que no mesmo período realizariam mais de 250 mil atendimentos — disse a subsecretária Roberta Guimarães.

Também estarão presentes no painel três representantes da prefeitura do Rio que falarão sobre o investimento em energia verde em outras áreas da cidade: o coordenador de projetos da diretoria técnica da Comlurb, Bernardo Ornelas; o diretor de estruturação de projetos da Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar), Lucas Paulo Costa; e o Presidente da RioLuz, Paulo Cezar dos Santos.