Sede de site de notícias é atacada a tiros em Rondônia

As imagens da câmera de segurança mostram um homem de calças jeans, jaqueta e bonés pretos se aproximando da entrada da empresa. (Foto: Getty Creative)
As imagens da câmera de segurança mostram um homem de calças jeans, jaqueta e bonés pretos se aproximando da entrada da empresa. (Foto: Getty Creative)

A sede do site de notícias Rondônia ao Vivo, em Porto Velho (RO), foi atingida a tiros na madrugada deste sábado (12). Janelas e a porta de vidro da parte da frente do imóvel onde funciona a empresa foram estilhaçadas.

Um vídeo feito por câmera de segurança mostra um homem se aproximando e disparando contra o local. Ninguém ficou ferido — no momento do ataque não havia ninguém na empresa.

O dono do site, Paulo Andreoli, afirmou ter recebido informações de autoridades policiais de que 19 cápsulas de pistola calibre 9 milímetros foram encontradas em frente ao imóvel. Ele disse acreditar que o ataque tenha relação com grupos radicais bolsonaristas da cidade.

As imagens da câmera de segurança mostram um homem de calças jeans, jaqueta e bonés pretos se aproximando da entrada da empresa.

Ele olha para os lados e inicia a sequência de tiros. Em seguida, deixa o local. Andreoli afirmou que a câmera foi colocada do outro lado da rua pela própria empresa diante da preocupação de que esse tipo de ato ocorresse.

Imagem de câmera de segurança mostra momento em que um homem dispara contra a sede do site Rondônia ao Vivo, em Porto Velho.

"Adotamos a postura de chamar de atos antidemocráticos as manifestações de bolsonaristas em frente à 17ª Brigada de Infantaria de Selva do Exército aqui em Porto Velho", disse. O empresário afirmou que essa decisão teria irritado apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL).

"Também nos colocaram em uma lista de empresas que supostamente apoiam a eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva'', afirmou.

A seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Rondônia divulgou nota em que repudia o ataque contra o site.

"Felizmente nenhum dos profissionais foi ferido fisicamente, mas é lamentável o estresse e a pressão psicológica que ocasiona", afirma.

"A comunicação livre é um dos pilares para uma democracia sólida em nosso país e é necessário respeito às opiniões diversas. Reafirmamos nosso compromisso com a verdade e pedimos a apuração imediata para solução do caso", conclui o texto.

Procurada pela reportagem, a Polícia Civil de Rondônia ainda não respondeu aos pedidos de entrevista.