Segundo dia de desfiles do grupo especial no Rio traz falhas técnicas e enredos sobre orixás

O segundo dia de desfiles do Grupo Especial no Carnaval do Rio de Janeiro foi marcado por muitos problemas técnicos, enredos com temáticas africanas e visual lúdico, neste sábado (23). Passaram pela Sapucaí Paraíso do Tuiuti, Portela, Mocidade Independente, Unidos da Tijuca, Grande Rio e Vila Isabel.

A Paraíso Tuiuti estourou o tempo em dois minutos e teve problemas com o último carro alegórico. Faltando cinco minutos para o fim do desfile, a escola ainda estava toda na avenida e deve perder pontos no quesito harmonia.

Portela também teve problemas. Um carro teve uma parte danificada e um globo gigante se rompeu. A Mocidade sofreu com um “buraco” entre as alas devido a uma estrutura que falhou e a escola não andou. Grande Rio, Vila Isabel e Unidos da Tijuca desfilaram sem problemas técnicos.

Paraíso do Tuiuti

Abrindo o segundo dia de desfile, a Paraíso do Tuiuti trouxe para a avenida personalidades e personagens negros da atualidade, entre eles: Pantera Negra, Beyoncé e RuPaul. O carnavalesco Paulo Barros retornou à escola após sua passagem em 2013. Por falhas técnicas, a escola precisou acelerar a apresentação no fim do desfile.

Portela

A Portela homenageou Monarco, presidente de honra da escola, que morreu em 2021 aos 88 anos. A agremiação exaltou a ancestralidade e trouxe para a avenida uma árvore gigante africana baobá feita pela única mulher do Carnaval do Rio a trabalhar com forração de grandes esculturas. No enredo, a escola contou que a árvore pode ultrapassar os 25 metros de altura e seu tronco pode ter mais de 40 metros de circunferência. A escola também teve falhas técnicas com um carro que rompeu.

Mocidade

A Mocidade Independente de Padre Miguel homenageou o orixá da caça e padroeiro da escola. A rainha de bateria, Giovana Angélica, raspou a cabeça assim como os integrantes da bateria. Além disso, a escola também trouxe uma flecha voadora na comissão de frente. O último carro alegórico veio com trono vazio em homenagem a Elza Soares, cantora que faleceu em janeiro deste ano e desfilava pela escola.

Unidos da Tijuca

A Unidos da Tijuca trouxe uma floresta encantada para a avenida com vários elementos lúdicos e cores vibrantes para contar a lenda indígena. A cantora Lexa usou uma fantasia inspirada no visual de Luma de Oliveira em 2005. O enredo "Waranã - A reexistência vermelha" é uma homenagem ao povo Sateré-Mawé e a lenda do guaraná.

Grande Rio

A Grande Rio homenageou Exu, mensageiro entre os orixás e os seres humanos. A rainha de bateria Paolla Oliveira veio como Pombagira (a representação feminina de Exu) e brilhou na avenida. Outros famosos também desfilaram pela escola como Monique Alfradique, Bianca Andrade, Pocah, David Brazil e Gil do Vigor.

Vila Isabel

Fechando a noite a Vila Isabel homenageou o presidente de honra da escola “Canta, canta, minha gente! A Vila é de Martinho” e contou a história e obra de Martinho da Vila. Ele desfilou na companhia de parentes e amigos em uma ala no chão. A rainha de bateria, Sabrina Sato, conseguiu chegar ao Rio depois de uma maratona - ela também é rainha na Gaviões da Fiel, em São Paulo, e precisou correr para chegar a tempo na Sapucaí.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos