Segundo dia do Enem teve questões sobre teste de Covid-19, energia solar, buracos negros e garrafa pet

Professores que fizeram a prova de hoje destacaram, entre os conteúdos escolhidos, as questões sobre a pandemia de Covid-19 e o uso de placas solares para a produção de energia. Essa foi a primeira vez que a crise global apareceu na prova de Ciências da Natureza do Enem por conta de uma desatualização do banco de itens do Inep.

Entre os temas que apareceram, houve a análise de como funciona um teste PCR e a forma com que, utilizando equação de segundo grau, seria prever a lotação de hospitais e intensificar campanhas de prevenção ao vírus para evitar a saturação de vagas.

A partir das 15h30 deste domingo (20), os primeiros inscritos a entregarem a prova já começam a deixar os locais do segundo dia do Enem.

— A prova foi bem contextualizada trazendo várias situações do dia a dia, de maneira que o aluno pudesse relacionar seus conhecimentos e conceitos das diversas áreas do conhecimento, tanto em Ciências da Natureza, quanto em Matemática — afirmou Samantha Fechio, assessora de Biologia do Sistema Positivo de Ensino.

Em Física, segundo Fechio, tiveram questões de temas como Mecânica e Calometria. Neste segundo tópico, foi cobrado passagem de energia luminosa ou solar em elétrica, como uso de placas solares. Questões relacionadas a corrente elétrica também foram cobradas. Na prova, segundo ela, das 15, só seis eram conceitos. Não envolviam cálculo matemático. Já Vinicius Silveira, do Colégio e Curso AZ, afirmou que não houve surpresa na prova de Física.

— Todos estavam cobrados estavam dentro do que são esperados. Não houve novidades. Tivemos questões de ondas, circuitos elétricos, calorimetria, potência, energia, estática, colisões e eletromagnetismo — diz.

Já em Química foi cobrado ligações químicas, equações e ciclo biogeoquímico. Além disso, também houve questões utilizando aspecto do uso do Ozônio como possibilidade para esterilização de ambientes contra o coronavírus. Das 15, 11 não exigiram cálculo matemático.

— Em Biologia, a prova também teve questões muito contextualizadas. Caiu muito fisiologia, genética, doenças envolvendo protozoários, vermes e bactérias. Algo muito presente foi a presença do vírus, tanto como agente causador de doenças e a forma de utilização desse elemento a biotecnologia — conta Fechio.

A prova também apresentou uma pergunta sobre o PCR, exame que ficou muito conhecido durante a pandemia de Covid-19, pela sua capacidade de identificar a doença.

— A questão apontava como é analisado, por meio dessa técnica, se a pessoa tinha tido contato com a doença ou não — diz a professora.

Em Matemática, das 45 questões, dez não envolviam cálculos - apenas interpretação de gráficos e imagens. Um assunto muito comum foi geometria. A pandemia tambémapareceu utilizando uma equação de segundo grau para identificação do índice de lotação de hospitais como base de propagandas e divulgação de formas para a prevenção da doença.

Outros temas comuns da prova do Enem como probabilidade, mediana, moda e sequência também foram cobrados.

A avaliação será encerrada às 18h30. Os estudantes só poderão sair com o caderno de questões às 18 horas. Este ano, inscreveram-se 3,4 milhões de candidatos, mas só 2,4 milhões compareceram ao primeiro dia das provas, no domingo passado.

A partir das 18h45, o GLOBO terá um gabarito extraoficial do exame. As 90 questões de Matemática e Ciências da Natureza, das provas azul, branca, rosa e amarela, serão resolvidas por professores da Plataforma AZ de Aprendizagem, estarão disponíveis gratuitamente no site do GLOBO.

Além do gabarito, haverá uma transmissão online com professores comentando as questões. A live será aberta para todos os candidatos, que poderão enviar perguntas ao vivo pelo YouTube.

Os professores Alex Rmoa e Thiago Galrão, de Matemática; Vinícius Silveira e Daniel Avila, de Física; Marcelo Cruz e Julio Cesar, de Química; e Rafael Cafezeiro, de Biologia, participarão do encontro.

A live com a correção ao vivo das questões e comentários sobre as provas poderá ser acompanhada no vídeo abaixo e também nas redes sociais da Plataforma AZ.