Segundo município com mais mortes no Rio, Duque de Caxias já planeja volta às aulas

Pedro Zuazo, Cíntia Cruz e Marcos Nunes
Mesmo durante o período de quarentena, ruas do municípios continuaram lotadas

Segundo município com mais mortes por Covid-19 no estado, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, vai reabrir o comércio na semana que vem. Um decreto que será publicado pela prefeitura hoje vai permitir o retorno das atividades comerciais na cidade a partir de segunda-feira, desde que sejam respeitadas algumas regras.

Os estabelecimentos comerciais poderão funcionar, mas o atendimento ao público deverá ser de até 30% da capacidade de lotação. Além disso, outras exigências deverão ser cumpridas, como disponibilização de álcool gel e uso de protetor facial para clientes e funcionários.

Durante uma live em sua página no Facebook na noite de ontem, o prefeito Washington Reis afirmou que empreendimentos como boates e clubes que promovem eventos vão continuar fechados. Ele informou também que na “próxima rodada” de relaxamento das medidas irá determinar a volta às aulas na cidade, sem apresentar uma data.

— Não próxima rodada, não está nesse decreto, vamos abrir as escolas, porque as crianças estão na rua sem máscara, jogando bola. Vai ter todo cuidado que creio que ela não tem em casa. Vai até servir de enfermeirinho para levar para casa os hábitos, orientar os pais e irmãos sobre como se cuidar.

A decisão acontece enquanto o país é o epicentro da doença no mundo e superou o número de 20 mil mortes. Em Caxias, a situação é grave. Segundo dados da Secretaria estadual de Saúde (SES), o município tem 167 mortes, ficando atrás apenas da capital, onde 2.376 já morreram.

Em relação aos casos confirmados, Caxias está em quarto lugar no ranking estadual, com 1.171 registros, ficando atrás de Nova Iguaçu (1.185), Niterói (1.968) e Rio de Janeiro (18.743).

Ao longo das últimas semanas, fiscais estavam punindo lojas que não prestavam serviços essenciais e estavam abertas. O decreto estava valendo até o dia 31.

‘Vamos coltar com tudo rápido’, diz prefeito

Ainda durante a live de ontem à noite no Facebook, Reis afirmou que pretende “voltar com tudo rápido” porque “a coisa tá feia”. O prefeito disse que os comerciantes estão lhe pedindo o retorno das atividades:

— Fica em casa quem pode ficar em casa. Agora, a coisa tá feia. Tem muita gente passando fome. A arrecadação das prefeituras caiu muito.

Washington Reis afirmou também que o comércio que for flagrado com aglomeração será fechado “para servir de exemplo”.

A prefeitura informou que a nova determinação “ocorre em virtude do aumento do número de leitos na cidade e da queda do número de atendimentos de pessoas com sintomas da Covid-19 nas unidades de saúde do município”.

— Eu estou muito confiante que essa pandemia vai passar, principalmente na nossa região — disse Reis.