Segundo a polícia, bicheiros já haviam alertado vítimas da Zona Oeste a pararem de organizar bolões

Giselle Ouchana e Letícia Gasparini
Oseas Gomes Sales, de 33 anos, foi morto a tiros no dia em que fazia aniversário

Oseas Gomes Sales, de 33 anos, e Pablo Costa Nunes, de 31, assassinados na quinta-feira em bairros da Zona Oeste do Rio, podem ter sido alvo de contraventores. Segundo a polícia, as vítimas organizavam bolões de apostas na região, o que, de acordo com as investigações, vinha incomodando os bicheiros.

Ainda de acordo com as investigações, os contraventores chegaram a alertar as vítimas para cessarem os bolões de futebol. A polícia já sabe que Oseas teria decidido parar as apostas, mas resolveu fazer uma ‘saideira’. Relatos de testemunhas à polícia afirmam que bolões são comuns nos bairros em que os dois foram mortos e que, eventualmente, os prêmios chegam a R$ 70 mil.

Oseas foi morto a tiros na noite de quinta-feira em Realengo, quando ia comemorar o próprio aniversário. Já Pablo, que vendia frutas numa feira, foi alvejado horas antes em Bangu.

Oseas foi morto quando passava pela Rua Unia e foi surpreendido por homens armados dentro de um carro que fizeram os disparos. Ele chegou a ser socorrido no Hospital municipal Albert Schweitzer, também em Realengo, mas não resistiu aos ferimentos.

Em uma rede social, Oseas publicou várias fotografias de pessoas com comprovantes de bolões e notas de dinheiro. Uma das imagens traz a frase “Mais um ganhador. Quem quiser participar só vir todo fim de semana”. Publicações desse tipo foram feitas desde o início de 2017.

Morte de Oseas: testemunhas falam em 20 disparos

Testemunhas contam ter ouvido cerca de 20 disparos. Uma amiga de Oseas, que preferiu não se identificar, disse que a vítima era uma “pessoa espetacular”. Ainda na web, muitas pessoas lamentaram a morte.

“Dá nem para acreditar, servimos o quartel juntos. Amigo muito bom de coração, sempre ajudava todo mundo. Vai deixar saudades. Que Deus conforte o coração da família e amigos”, destaca uma das mensagens.

A morte do feirante Pablo Costa Nunes estaria relacionada à de Oseas. Ele foi assassinado a tiros na manhã de quinta, em Bangu. Ele vendia bananas em uma feira do bairro, quando foi alvejado. Segundo os investigadores, Pablo também organizaria bolões na Zona Oeste. A polícia ainda não confirmou, porém, se as duas vítimas se conheciam.

A Zona Oeste tem uma histórica disputa pelo domínio dos jogos de azar entre os contraventores Fernando Iggnacio e Rogério Andrade, sobrinho do falecido Castor de Andrade.