Segundo turno em São Paulo: Márcio França declara neutralidade e não apoiará Boulos ou Covas

Anita Efraim
·3 minuto de leitura
Márcio França ficou em terceiro lugar no primeiro turno em São Paulo (Foto: Reprodução/TV Cultura)
Márcio França ficou em terceiro lugar no primeiro turno em São Paulo (Foto: Reprodução/TV Cultura)

Márcio França (PSB), terceiro colocado no primeiro turno da eleição municipal em São Paulo, declarou que ficará neutro na disputa entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL). A declaração foi feita nas redes sociais.

“Estaremos neutros na eleição do segundo turno em São Paulo! Reconhecendo méritos importantes nos dois candidatos escolhidos para o segundo turno, e segundos que a soberania popular se expressou”, escreveu França.

“Respeitamos! Porém, estamos certos que aqueles mais de 728 mil cidadãos, que pensaram como eu, que deram seu voto ao nosso projeto para dirigir a capital, não se encontram nas propostas e nos perfis dos candidatos pré-selecionados. Não faço o que não estou convencido, nem meus eleitores”, declarou.

No primeiro turno, França recebeu o apoio do PDT, de Ciro Gomes. O partido optou por apoiar Guilherme Boulos, assim como PT e Rede. Na manhã desta sexta-feira, 20, Boulos esteve com representantes de diversas legendas no lançamento da “frente democracia por São Paulo”. Membros do PSB, de Márcio França, estiveram presentes.

“A democracia sempre estará certa e respeito resultados, assim, desejo sorte aos dois candidatos. Agradeço mais uma vez o apoio do meu partido e de aliados que estiveram conosco na jornada, bem como dos candidatos a vereador e nossos apoiadores, rogando para que agora, por sua própria consciência e percepção, ajudem a eleger aquele que entenderem que poderá nos conduzir bem nos próximos difíceis 4 anos”, escreveu.

Joice Hasselmann (PSL) e Celso Russomanno (Republicanos) já declararam apoio ao prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas.

Eleições em São Paulo

São Paulo é o maior colégio eleitoral do Brasil com quase 9 milhões de pessoas aptas a votar. Com 32.85% dos votos válidos no primeiro turno, Bruno Covas (PSDB) enfrenta Guilherme Boulos (PSOL) que teve 20.24% dos votos válidos..

Covas é prefeito da cidade desde 2018, quando assumiu após o prefeito eleito João Doria (PSDB) deixou o cargo para disputar — e ganhar — o Governo do Estado. Foi Bruno quem esteve à frente da cidade na pandemia do coronavírus.

Já Boulos ficou nacionalmente conhecido em 2018, quando foi candidato do PSOL à presidência. Conhecido por sua atuação com o MTST, ele é professor e concorre pela primeira vez ao cargo. Sua vice, Luiza Erundina, foi prefeita de São Paulo no final da década de 1980.

Eleições municipais em todo país

As Eleições 2020 moveram praticamente todo país neste domingo. Por conta do coronavírus, essa foi uma eleição diferente, com horários estendidos e mais critérios de segurança sanitária.

Uma questão que levanta muitas dúvidas ao longo processo é o famoso coeficiente eleitoral. Bem resumidamente, é a divisão do número de eleitores pelo número de vagas (nós explicamos com detalhes AQUI). Cada cidade, então, tem seu coeficiente eleitoral.

Caso não esteja presente na cidade onde você está apto para votar, é possível justificar seu voto. Para saber como, siga nosso guia clicando AQUI.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.