Segurança afegão morre em troca de tiros no aeroporto de Cabul

·2 minuto de leitura
Forças norte-americanas ajudam na retirada de cidadãos do Afeganistão

CABUL (Reuters) - Um tiroteio envolvendo forças ocidentais aconteceu no aeroporto de Cabul nesta segunda-feira quando seguranças afegãos trocaram tiros com homens armados não-identificados e um segurança foi morto, disseram os militares da Alemanha.

Milhares de afegãos e estrangeiros lotam o aeroporto na esperança de partir desde que combatentes do Taliban capturaram Cabul no dia 15 de agosto.

Vinte pessoas já perderam a vida em meio ao caos no aeroporto, a maioria baleada ou pisoteada, enquanto forças norte-americanas e internacionais tentam retirar cidadãos e afegãos vulneráveis.

A rede CNN disse que o confronto começou quando um franco-atirador situado fora do aeroporto atirou em seguranças afegãos --cerca de 600 ex-soldados do governo estão ajudando as forças dos Estados Unidos no aeroporto-- perto do portão norte.

Forças norte-americanas e alemãs se envolveram no confronto, disseram os militares da Alemanha, acrescentando que três seguranças afegãos feridos estavam sendo tratados em um hospital de campanha no aeroporto.

Duas autoridades da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no aeroporto disseram que a situação estava sob controle após o tiroteio.

O Taliban posicionou combatentes do lado de fora do aeroporto, onde eles tentavam impor algum tipo de ordem.

Combatentes do Taliban repeliram multidões no aeroporto no domingo, um dia depois de sete afegãos morrerem esmagados nos portões na iminência do prazo final para a retirada das tropas estrangeiras.

O Taliban tomou o poder pouco mais de uma semana atrás. Os EUA e seus aliados retiram as tropas após uma guerra de 20 anos iniciada nas semanas posteriores aos ataques de 11 de setembro de 2001, enquanto forças norte-americanas caçavam líderes da Al Qaeda e se empenhavam em punir seus anfitriões do Taliban.

O governo do ex-presidente norte-americano Donald Trump, o antecessor de Joe Biden, firmou um acordo com o Taliban no ano passado para que seu país retirasse as forças em troca de garantias de segurança.

No domingo, Biden disse que a situação de segurança no Afeganistão está mudando rapidamente e continua perigosa.

"Deixem-me ser claro, a retirada de milhares de Cabul será difícil e dolorosa" e o teria sido "independentemente de quando começasse", disse Biden em uma entrevista coletiva na Casa Branca. "Temos um caminho longo pela frente e muita coisa pode dar errado."

Líderes do Taliban, que tenta mostrar uma face mais moderada desde que conquistaram Cabul, iniciaram conversas para a formação de um governo enquanto suas forças se concentram nos últimos bastiões da oposição.

(Da redação de Cabul com Rupam Jain, Caroline Copley, Michelle Nichols, Simon Lewis, Ju-min Park e Emma Farge)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos