Segurança de Carla Zambelli é preso por atirar em confusão com deputada

O segurança da deputada bolsonarista Carla Zambelli (PL-SP) foi preso em flagrante por ter atirado durante uma confusão envolvendo a parlamentar, ocorrida neste sábado, em São Paulo. A informação foi passada à TV Globo pelo delegado Percival Alcântara, titular do 78º DP. De acordo com o policial, a prisão foi em flagrante. Ainda não há informações sobre a identidade do segurança nem de para onde ele foi levado.

Deputada federal reeleita, Zambelli sacou uma arma e apontou para um homem no bairro nobre dos Jardins, em São Paulo. A parlamentar disse que foi hostilizada por "militantes de Lula". Mas as imagens divulgadas até o momento contrariam a versão da parlamentar.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o início da confusão. Nas imagens, o jornalista Luan Araújo, um homem negro, discute com Zambelli e seus seguranças.

— Amanhã é Lula, tio. Vocês vão voltar para o bueiro de onde nunca deveriam ter saído, seus filhos da p*** — afirma Araújo.

Ele contou ao GLOBO que saía de um chá de bebê quando ouviu Carla Zambelli dizer "amanhã é Tarcísio", em referência à possível eleição de Tarcísio de Freitas, candidato bolsonarista ao governo de São Paulo. Araújo disse ter xingado Zambelli nesse momento e defendido voto em Lula, e que a partir de então as pessoas que estavam com a deputada começaram a filmá-lo.

— No fim da discussão, eu disse "te amo, espanhola", que é a frase do (senador) Omar Aziz na CPI da Covid — afirmou.

Um vídeo mostra Zambelli se desequilibrar e cair nesse momento. Ela levanta rapidamente e corre atrás de Luan, junto com alguns de seus apoiadores. Um deles, que é branco, aparece com uma arma na mão. É possível identificar o som do disparo de uma arma de fogo, mas não há uma imagem do momento do tiro. Araújo é chutado por esse homem.

O apoiador de Lula segue pela Alameda Lorena até entrar num bar na mesma via. Na sequência, é possível ver a deputada chegando no local, com uma arma na mão.