Segurança do Lollapalooza nos EUA enviou ameaça de ataque ao evento para ver se saía do trabalho mais cedo

Uma jovem de 18 anos que trabalhou como segurança na última edição do Lollapalooza nos EUA foi presa sob acusação de ter enviado uma falsa ameaça de ataque a tiros em massa ao festival com objetivo de tentar sair do expediente mais cedo, informaram as autoridades locais. O caso ocorreu em Chicago no último final de semana.

Entenda: temperaturas mais elevadas na Flórida fazem com que quase todas as tartarugas marinhas sejam fêmeas

Mais sanções: Suíça proíbe importações de ouro da Rússia

“Tiros em massa no local do Lollapalooza às 16h. Temos 150 alvos”, dizia a mensagem anônima recebida pelo chefe de Janya Williams na tarde de sexta-feira.

Em seguida, o supervisor da suspeita acionou as autoridades. Foram mobilizadas equipes da polícia local e do FBI. Ao avisar a equipe de trabalho, Janya comentou que sua irmã teria visto uma ameaça semelhante postada em rede social. Ela então enviou uma captura de tela da publicação, feita num perfil de Facebook com o nome fictício "Ben Scott".

"Tiros em massa no Lollapalooza Grant Park 18:00", afirmava a postagem, que rapidamente foi rastreada por agentes do FBI.

Os dados da polícia federal americana mostraram o IP de Janya e a conta no iCould dela como as fontes das referidas mensagens.

À polícia, a jovem admitiu ter criado a falsa ameaça “porque queria deixar o trabalho mais cedo”, informou a promotoria. Por fim, Janya foi mantida presa por crime de falsa ameaça de terrorismo, sob fiança de US$ 50 mil. Uma audiência sobre o caso foi agendada para segunda-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos