Segurança de rua matou motorista de aplicativo em Bonsucesso, conclui Polícia Civil; acusado é considerado foragido

Rafael Nascimento de Souza
·1 minuto de leitura

A Polícia Civil identificou o suspeito do homicídio do motorista de aplicativo Alexandre Jorge Monteiro de Sousa, de 40 anos, ocorrido no dia 8 de fevereiro, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O acusado do assassinato é um segurança de rua que trabalha entre as avenidas Roma e Paris, a menos de 500 metros do Hospital Federal de Bonsucesso, para onde Alexandre chegou a seguir de carro mesmo ferido, mas acabou morrendo diante da unidade. Identificado como Jeferson Alves Simas, o suspeito é considerado foragido.

No dia do crime, segundo as investigações, Alexandre deixou um passageiro na altura do Parque União e seguiu para o posto de gasolina Almada, onde esperaria a esposa. Pouco antes das 23h50, ele e o vigilante teriam discutido. Em determinado momento, ainda de acordo com a polícia, Jeferson pegou uma faca e deu o primeiro golpe no pescoço do motorista.

Enquanto tentava fugir pelo banco do passageiro, a vítima foi golpeada no abdômen, pelo lado esquerdo. Em seguida, foi atacado mais duas vezes. Na tentativa de se salvar, Alexandre deixou o local em alta velocidade, quase atropelou o suspeito e seguiu em direção ao Hospital de Bonsucesso. Lá, sem atendimento, ele morreu.

O vigia de rua seria conhecido na região e teria residência no Parque União. A polícia acredita que, após receber ajuda de um pastor evangélico, Jeferson fugiu para o Nordeste, já que ainda não retornou ao trabalho nem foi localizado. Informações sobre o paradeiro do suspeito podem ser remetidas ao Disque-Denúncia (21 2253-1177).