Seguro Pix de bancos não é obrigatório. Serviço, no entanto, não cobre transações feitas em caso de celular roubado

Ter o aparelho de celular roubado ou furtado pode dar muita dor de cabeça ao consumidor, mesmo que tenha seguro. Isso ocorre porque os criminosos além de estarem de posse de informações das mais variadas ainda podem acessar o Pix e realizar transferências, e isso não está contemplado em muitos seguros, segundo pesquisa do site Tecnoblog. Apenas seis bancos oferecem seguros para transações digitais: Bradesco, BTG Pactual, C6 Bank, Itaú, Santander e Sicoob. Vale observar que Banco do Brasil e Caixa não possuem produtos desse tipo. O Nubank anunciou uma proteção contra fraudes via Pix, mas o produto é integrado ao seguro do aparelho celular e ainda está em fase de testes.

Atualmente, apenas o Bradesco Seguro Proteção Digital cobre Pix em caso de perda, furto ou roubo do smartphone ou tablet. No entanto, o produto abrange apenas as transferências feitas pelo app; se o crime ocorrer por um computador ou no caixa eletrônico, por exemplo, não há cobertura.

Mesmo sem cobertura para transações com celular roubado, alguns seguros oferecem diferenciais. O produto do Santander, por exemplo, cobre roubo de bens comprados via Pix, mas somente pelo prazo de sete dias após o recebimento da mercadoria. Já o Seguro C6 Conta também contempla transações feitas com cartão, enquanto a maioria dos bancos possui outros seguros específicos para essa modalidade.

Importante desttacar que a contratação do seguro Pix não é obrigatória, conforme resolução do Banco Central:

“V – responsabilizar-se por fraudes no âmbito do Pix decorrentes de falhas nos seus mecanismos de gerenciamento de riscos, compreendendo a inobservância de medidas de gestão de risco definidas neste Regulamento e em dispositivos normativos complementares”, diz o Art. 32 da resolução BCB nº 147/2021

A resolução também prevê que recursos oriundos de uma transação via Pix devem receber bloqueio cautelar máximo de 72h quando houver suspeita de fraude. Durante o período de bloqueio, a instituição bancária deve avaliar se existem indícios de fraude, e, caso constatada, os recursos devem ser devolvidos ao usuário pagador.

Os valores cobrados e prêmio máximo podem variar conforme o tipo de conta, cliente e cobertura escolhida. Eu sou cliente do Itaú com duas contas: em uma, o valor do seguro é de R$ 2,90 com cobertura para R$ 10 mil; em outra conta, o preço mensal sobe para R$ 7,00, com indenização de até R$ 30 mil.

Os bancos avaliam que os seguros de transações digitais podem ser úteis para se proteger em casos de sequestro relâmpago. Ter o produto contratado pode reduzir o prejuízo caso aconteça algum sinistro com coação e ameaça de violência física.

Bradesco Seguro Proteção Digital

Santander Seguro Transações

Itaú

BTG Pactual Seguro Pix


C6 Bank Seguro C6 Conta


Nubank Celular Seguro


Sicoob Seguro Transações

Utilize o procedimento de bloqueio da tela de início do celular

Não usar o recurso de “salvar senha” em navegadores e sites

Nunca anotar senhas de acesso ao banco em blocos de notas, e-mails, mensagens de WhatsApp ou outros locais no celular

Não repetir a senha utilizada para acesso ao banco para uso em outros aplicativos, sites de compras ou serviços na internet

Realize autogestão dos limites Pix pelo aplicativo, reduzindo os valores de acordo com seu perfil de movimentação

Adicionalmente, em caso de celular perdido/roubado, além do registro de Boletim de Ocorrência, é indispensável notificar o banco, a operadora de telefonia e trocar todas as senhas, incluindo e-mail e redes sociais