Seis são presos e outras três mortos em operação policial na Zona Norte do Rio

Rafael Nascimento de Souza
·3 minuto de leitura

Três pessoas mortas, duas baleadas, e outras seis presas. Este foi o resultado de operações realizadas pela Polícia Militar e pela Polícia Civil, nesta sexta-feira, na Favela do Barbante, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Durante as incursões, Agentes da Delegacia do Aeroporto Internacional do Rio (Dairj) e da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), localizaram câmeras instaladas por criminosos, na área externa do aeroporto, para monitorar a atuação de seguranças. Segundo a polícia, os bandidos teriam criado trilhas na mata para o transporte de drogas e armas pela Baía de Guanabara.

Homens da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) apoiaram a ação, que tentava ainda prender criminosos, retirar barricadas, apreender armas e capturar foragidos. Durante a operação, uma pessoa foi baleada e socorrida para o Hospital municipal Evandro Freire, na Ilha. A Polícia Civil não informou o nome do ferido. Agentes da Dairj prenderam Lucas de Oliveira Carvalho, de 23 anos, que tinha um mandado de prisão em aberto expedido pela Justiça da Paraíba. Com o rapaz os investigadores encontraram grande quantidade de drogas e material de anotação do tráfico da região. Também foram apreendidos um carro, uma moto e roupas camufladas.

O delegado Adriano Marcelo Firmo França revelou que a investigação começou há seis meses. Por ser um local de de alto risco, foi preciso fazer um planejamento e dividir a ação em duas fases.

— A investigação continua. Eles foram audaciosos ao fazerem essa trilha e instalarem câmeras de segurança no aeroporto. Estamos aqui para frear essa invasão do aeroporto. Eles fizeram isso porque ali é um local privilegiado, próximo a Baía de Guanabara e de várias rodovias, e isso interessa muito ao tráfico. Eles monitoravam os passos da polícia e dos funcionários do aeroporto — conta França.
Segundo a Polícia Civil, a área foi mapeada “para futuras investigações”.
— Sabemos que entram por ali muitas armas e drogas, por isso a importância desse monitoramento e operação - completou o delegado.


No momento em que a Policia Civil realizava a ação no local, homens do Batalhão do Choque e do Batalhão de Ações com Cães também estavam atuando dentro da comunidade. A falta de comunicação entre as duas instituições quase colocou os agentes em risco, mas não houve incidentes. Nas redes sociais, a PM pediu que moradores da localidade denunciassem e colaborassem “com informações que levem ao paradeiro de criminosos e, também, ao esconderijo de armas e drogas”.

Três suspeitos foram mortos na ação da PM. Um quarto suspeito foi ferido e socorrido. Segundo a PM, na mesma ação, cinco pessoas foram presas e quatro armas apreendidas.O caso foi registrado na 37ª DP (Ilha do Governador e na Delegacia de Homicídios da Capital. Abaixo a íntegra da nota da Polícia Mílitar.

" A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Policia Militar informa que, nesta sexta-feira (19/03), o Batalhao de Polícia de Choque (BPChq) e o Batalhão de Ações com Cães (BAC) ataram na comunidade do Barbante, na Ilha do Governador. Na ação, indivíduos armados atacaram as equipes d BPChq, ocorrendo reação.Houve cinco prisões, três suspeitos feridos socorridos no Hospital Municipal Evandro Freire e apreensão de duas pistolas calibre 9 mm, duas espingardas calibre 12, um carregador de pistola, munições, dois rádios comuncadores, duas placas balísticas e drogas, além de uma motocicleta recuperada. Equipes do BAC aptreenderam entorpecentes e rádio comunicador. As ocorrências foram encaminhadas para a 37ªDP e Delegacia de Homicídios da Capital".