Formiga, Tamires e Bia Zaneratto pedem apoio dos brasileiros: “Visibilidade”

·1 minuto de leitura
Bia Zaneratto, Formiga e Tamires emcabeçam o projeto #presasnos80 (Sam Robles/CBF)
Bia Zaneratto, Formiga e Tamires emcabeçam o projeto #presasnos80 (Sam Robles/CBF)

O futebol feminino estreou nas Olímpiadas Tóquio 2020 goleando a China por 5x0 e o que elas querem é mais visibilidade. Regulado em 1983, são as atletas mulheres que tem os melhores números no esporte, mas o menor reconhecimento e atenção.

“Toda vez que entro em campo, é como se eu estivesse reafirmando o meu direito de jogar futebol, que só foi reconhecido na década de 80. Sem a visibilidade que merece, o Futebol Feminino continuará preso nos anos 80. Precisamos apoiar a Seleção Brasileira, os Clubes e incentivar o esporte", conta Formiga, que é a atleta brasileira que mais foi a olimpíadas na história, sete.

Leia também:

Ao lado de Tamires e Bia Zaneratto, elas criaram o movimento #presasnos80 que visa trazer o futebol feminino para a atualidade e o libertar dos anos 80, quando foi regulamentado, já que de lá para cá pouca coisa mudou.

“O recorde de público no estádio de um jogo do time feminino é de pouco mais de 28 mil pessoas. Mesmo na década de 80, o recorde de um jogo do time masculino foi de mais de 161 mil torcedores. Esse é apenas um exemplo que reforça que o futebol feminino ainda está preso nos anos 80", lembra Tamires.

A iniciativa pede que o público compartilhe e incentive outras pessoas a assistir, comentar e torcer pelo futebol feminino com a hashtag do projeto. Elas também preparam ações em suas redes sociais para movimentar o público durante a competição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos