Seleções recuam no uso da braçadeira colorida após ameaça da FIFA

Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Holanda e Suíça não vão usar as braçadeiras coloridas. Foto: Giuseppe Cottini/Getty Images
Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Holanda e Suíça não vão usar as braçadeiras coloridas. Foto: Giuseppe Cottini/Getty Images

As seleções de Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Holanda e Suíça anunciaram em comunicado conjunto que não vão usar as braçadeiras de capitão coloridas em seus jogos do Mundial 2022, depois de a FIFA ter ameaçado que os capitães de equipe poderiam receber cartão amarelo por entrarem em campo com as cores da comunidade LGBTQIA+.

“A FIFA deixou muito claro que imporá sanções desportivas se os nossos capitães usarem as braçadeiras em campo”, refere a nota das federações.

Leia também:

“Não podemos colocar os nossos jogadores numa posição em que possam enfrentar sanções desportivas, incluindo cartões amarelos, por isso pedimos aos capitães que não tentem usar as braçadeiras nos jogos do Mundial”, seguiu a nota.

As seleções estavam dispostas a pagar multas, mas reconhecem que não podem sujeitar os jogadores a “receber um cartão amarelo ou até mesmo serem forçados a deixar o campo”.

“Estamos muito frustrados com a decisão da FIFA, que acreditamos ser sem precedentes - escrevemos à FIFA em setembro para informar sobre o nosso desejo de usar a braçadeira One Love para apoiar ativamente a inclusão no futebol, e não tivemos resposta”, conclui a nota.

Ainda sobre o tema, a federação holandesa usou seu site oficial garantindo que fará “uma análise crítica” à relação com o organismo que tutela o futebol mundial.

Vale lembrar que nesta segunda-feira três países que usariam a braçadeira estreiam na Copa do Mundo do Catar. A Inglaterra encara o Irã às 10h00, a Holanda joga contra o Senegal às 13h00 e o País de Gales fecha os jogos do dia diante dos Estados Unidos, às 16h00.