Sem avanços no Renda Cidadã, governo deve ampliar Bolsa Família em 2021

Geralda Doca e Manoel Ventura
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro não trabalha com a possibilidade de estender o auxílio emergencial, hoje em R$ 300, e também teria desistido de vez de criar o Renda Cidadã neste ano, segundo integrantes do alto escalão do governo. A ideia, agora, é manter o Bolsa Família, que atualmente beneficia 14,2 milhões de famílias, e incluir mais pessoas nas regras.

A estimativa do governo, contudo, é que pelo menos três milhões de famílias precisam continuar recebendo assistência a partir de janeiro, mesmo com o fim do auxílio emergencial. O benefício concedido durante a pandemia atende mais de 67 milhões de pessoas a um custo de R$ 590 bilhões até o fim do ano.