Sem bufê, com máscaras de proteção e mais lavagem das mãos: como cassinos e hotéis vão reabrir em Las Vegas

Barreiras de vidro, estações para lavagem das mãos, distanciamento físico em máquinas caça-níqueis, menos jogadores em mesas de jogo e máscaras faciais obrigatórias. Sem refeições em estilo bufê e com chaves de quarto digitais. Assim será o retorno das atividades dos cassinos e hotéis do MGM Resorts International em Las Vegas, nos EUA, no fim deste mês ou no início de junho.

De acordo com a imprensa americana, a empresa divulgou nesta terça-feira um plano de segurança em sete pontos para reabrir suas 13 propriedades de entretenimento na cidade, fechadas desde março por causa da pandemia do novo coronavírus.

 

 

 

"Os funcionários vão desencorajar os jogadores de ficar em pé e os clientes serão convidados a não ficar ao lado ou atrás dos jogadores", diz o plano do MGM Resorts. Os protocolos propostos atendem principalmente às necessidades de segurança dos funcionários e dos hóspedes, ressalta o site "The Hollywood Reporter", mas não abordam diretamente como a empresa protegerá os artistas que atuam em seus palcos.

Outras medidas de segurança incluídas no relatório são a emissão de bilhetes sem contato físico para shows, processo de check-in e pedidos e retirada de alimentos usando aplicativos para smartphones. "Os hóspedes não precisarão mais esperar na fila ao chegar, se assim o desejarem. Poderão confirmar sua hora de chegada, adicionar pagamentos e ter sua identidade checada antes de entrar no lobby", explica o plano estratégico.

 

 

 

 

 

Os funcionários e clientes também deverão verificar se apresentam os sintomas da Covid-19 antes de entrarem nas propriedades: terão a temperatura checada e responderão a perguntas de triagem para passar pela porta da frente.

"Pedimos que os hóspedes cumpram um protocolo de autoteste semelhante antes de chegar e durante sua estadia. Se tiver motivos para acreditar que pode ter sido exposto ao vírus, recomendamos que siga as diretrizes do CDC (Centro de Controle de Doenças, na sigla em inglês) para autoquarentena e não viajar para nossas propriedades", recomenda o relatório, acrescentando que funcionários deverão usar máscaras e luvas de proteção.