Sem citar Bolsonaro, Tebet pede que Senado seja 'freio' a tentativas de abuso de poder

RENATO MACHADO E THIAGO RESENDE
·1 minuto de leitura
BRASILIA, 01.02.2021 - SIMONE-TEBET - A senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata à Presidência do Senado. Sessão plenária do Senado Federal para eleição do presidente da Casa para o próximo biênio. O presidente do senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), preside a sessão, que tem o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) como favorito. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASILIA, 01.02.2021 - SIMONE-TEBET - A senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata à Presidência do Senado. Sessão plenária do Senado Federal para eleição do presidente da Casa para o próximo biênio. O presidente do senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), preside a sessão, que tem o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) como favorito. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Sem citar nominalmente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a senadora Simone Tebet (MDB-MS) defendeu que o Senado seja o "freio" a tentativas de abuso de poder.

A senadora é candidata avulsa à presidência do Senado, após ter sido abandonada pela bancada do MDB. O partido negociou apoio ao candidato Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em troca de lugares na Mesa Diretora.

"Independência não para fazer oposição, mas para que possamos exercer o nosso poder constitucional de legislar e fiscalizar os demais poderes. Legislar visando o interesse público. Fiscalizar para que sejamos freio e contrapeso a qualquer tentativa de abuso de poder vindo de quem quer que seja, seja qual for o governo, seja qual for o poder", afirmou a senadora, que destacou que todos os candidatos devem se comprometer com a independência do Senado.

Tebet ressaltou que é a primeira mulher candidata à presidência do Senado na história.

Ao fim de seu discurso, Tebet relembrou o senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), que morreu vítima da Covide-19, e aproveitou para fazer uma homenagem a todas as vítimas da pandemia.