Sem citar ministros do STF, Bolsonaro diz que Brasil não pode ficar refém de 'uma ou duas pessoas'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
BRASILIA, DF,  BRASIL,  06-09-2021, 12h00: Segurança reforçada na sede do STF. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)
BRASILIA, DF, BRASIL, 06-09-2021, 12h00: Segurança reforçada na sede do STF. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Minutos antes da cerimônia de hasteamento da bandeira, no Palácio do Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro voltou a citar indiretamente os ministros do STF Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, que devem ser alvos de seus discursos nos atos desta terça-feira (7).

"Nosso país não pode ficar refém de uma ou duas pessoas, não interessa onde elas estejam. Ou entram nos eixos ou serão simplesmente ignoradas da vida pública. Este é meu trabalho", disse Bolsonaro, em transmissão feita em sua rede social. "Vou continuar jogando dentro das quatro linhas, mas a partir de agora não admito que outras pessoas, uma ou duas, joguem fora. A regra do jogo é uma só, o respeito à nossa Constituição", afirmou.

O presidente disse que vai discursar na Esplanada dos Ministérios por volta de 10h15 e na Avenida Paulista, entre 15h30 e 16h. "Não é o dia do presidente, de nenhum político ou autoridade. Hoje é dia do povo brasileiro, que vai nos dar um norte, para onde o Brasil deve ir. Apenas hoje quero ser o porta-voz de vocês".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos