Sem concessões: Rússia assume postura linha dura antes de negociações decisivas com os EUA

·1 min de leitura

Por Tom Balmforth e Mark Trevelyan

MOSCOU (Reuters) - A Rússia disse neste domingo que não fará nenhuma concessão sob pressão dos EUA nas negociações desta semana a respeito da crise da Ucrânia e das demandas por garantias de segurança para o Ocidente, e que há o risco de que as conversas acabem rapidamente.

A postura linha dura de Moscou mostra o quão baixas devem ser as expectativas pelo sucesso das negociações, enquanto Washington confia nelas para evitar o perigo de uma nova invasão russa à Ucrânia, no ponto mais tenso das relações EUA-Rússia desde o fim da Guerra Fria, três décadas atrás.

As conversas devem ocorrer em Genebra, Bruxelas e Viena, mas a agência de notícias estatal RIA citou o vice-ministro das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, dizendo que é perfeitamente possível que a diplomacia termine abruptamente após uma única reunião.

"Não posso descartar nada, este é um cenário inteiramente possível e os americanos não devem ter grandes esperanças sobre isso", disse ele.

"Naturalmente, não faremos quaisquer concessões sob pressão deles e no decurso das ameaças que estão constantemente sendo feitas pelos participantes do Ocidente."

A agência de notícias Interfax citou Ryabkov, que chefiará a delegação russa em Genebra, dizendo que Moscou não está otimista ao entrar nas negociações.

(Por Tom Balmforth em Moscou e Mark Trevelyan em Londres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos