Sem coveiros, filhos cavam cova da mãe em cemitério de Magé, no Rio

WALESKA BORGES
·1 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Uma família de quatro irmãos de Magé, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, cavou uma sepultura para conseguir enterrar a própria mãe no Cemitério Municipal II de Vila Esperança. O vídeo com a cena de duas das filhas cavando a cova circulou pelas redes sociais nesta quinta-feira (18). Nem prefeitura nem familiares informaram a causa da morte. Segundo uma das filhas narra, na gravação feita por celular, não havia nenhum coveiro no cemitério no horário do enterro. Conforme mostra o vídeo, os filhos usaram uma pá e uma enxada e fizeram uma cova rasa para colocar o caixão. "Venho informar aqui a pouca vergonha aqui em Magé, no Cemitério II da Vila Esperança. Esta aqui que está no caixão é nossa mãe. Não tem um coveiro aqui para enterrar. Quem está enterrando são os quatro filhos. E não tem um coveiro. Pelo amor de deus, minha mãe está sendo tratada pior que um cachorro. Isso é muito triste", diz a filha no vídeo. A reportagem não conseguiu conversar com familiares. Por meio de nota, a Prefeitura de Magé informou que assim que tomou ciência do ocorrido, o prefeito Renato Cozzolino (PP) exonerou o diretor do cemitério "pela atitude inadmissível que ocorreu na unidade Magé II". Ainda conforme a prefeitura, a família teve o processo do funeral todo agilizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos. Porém, quando o corpo chegou ao cemitério, todos os coveiros tinham sido liberados para o horário de almoço. "Lamentamos profundamente e informamos que todas as medidas já foram imediatamente tomadas pela gestão municipal", diz a nota. A prefeitura não esclareceu a causa da morte da mulher. Procurada, a família da senhora não se manifestou.