'Sem fila indiana', diz Mandetta ao recomendar vacinação contra gripe

Amanda Almeida, Marcello Corrêa e Bruno Góes
Ao lado de Bolsonaro, Mandetta sugere adiar eleições de 2020

BRASÍLIA – O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçou, neste domingo, a importância da vacinação contra gripe para idosos e profissionais da área da saúde. A defesa da campanha, que começa nesta segunda-feira, veio com uma recomendação: não fazer "fila indiana" para se vacinar.

O Ministério da Saúde começa nesta segunda-feira a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Os públicos prioritários são idosos e trabalhadores da saúde. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um desses grupos até 22 de maio. 

— Não formem fila indiana. Deem um espaçamento (entre uma pessoa e outra) — disse Mandetta, em coletiva de imprensa sobre a pandemia do coronavírus.

Mandetta explicou a prioridade para idosos e profissionais de saúde. Grupos de risco do cornavírus, os idosos têm mais chance de ter complicações, caso tenham a chamada "coinfecção", ou seja, além do Covid-19, serem contaminados com outro vírus. 

— Se eu os protejo (idosos), tenho menos casos de influenza — disse Mandetta, explicando que isso também libera leitos.

Já os profissionais de saúde são prioritários para garantir que "não deixem o front" da batalha contra o coronavírus. Mandetta disse que, depois deles e dos idosos, o ministério irá gradativamente abrindo a vacinação para outros grupos.