Sem filtro, Karine Teles, de 'Pantanal', fala de pressão estética, vaidade e mais: 'Considero Madeleine um exemplo do que há de ruim'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Bem longe do “Pantanal”, Madeleine, interpretada por Karine Teles na segunda fase da novela das nove, manteve a essência da personagem da primeira versão da novela, mas com um toque moderno. No remake, 32 anos depois, a carioca mimada é influenciadora digital, profissão que nem existia na época da exibição original.

— Eu achei muito interessante isso. O mundo mudou, 30 anos atrás as pessoas não tinham nem celular. Achei inteligente botar a Madeleine como influencer. Tem muitas figuras assim. Me diverti muito com as cenas, gravando publi... Esse dia em que fiz essas fotos foi o máximo, divertido — relembra a atriz, citando o ensaio que Madeleine protagonizou e que ilustra esta reportagem (as cenas dele vão ao ar a partir de amanhã).

Diferentemente de Madeleine e de muitas celebridades, Karine não mostra seu lado influencer nas suas redes sociais. E, enquanto muitas mulheres só dão as caras e publicam fotos na internet se estiverem produzidas, a atriz prefere mostrar o lado vida real.

— Quando a gente aparece com uma imagem produzida o tempo todo, pode estar fazendo mal para alguém que olha aquilo e não se identifica. Essa pressão estética é mais uma forma de controle, de enfraquecer a gente. Quando posto algo com filtro, aviso. Não quero contribuir com essa cultura da mentira. Não gosto de Photoshop, desse negócio de tirar marca de expressão do rosto de alguém, de emagrecer a pessoa. Não entendo a quem isso serve — afirma Karine, de 43 anos, que ama seu corpo assim como ele é: — Eu tenho pavor de cirurgia! Procedimentos invasivos só em caso de saúde! Acho muito mais bonito uma pessoa que tem a história no corpo e na cara. Eu quero mais é envelhecer mesmo!

Karine completa 30 anos na atuação no ano que vem. Com uma carreira consolidada e premiada no cinema, ela vive atualmente um novo momento, com seu nome sendo curiosidade para parte do público do sofá. Com pouco mais de 82 mil seguidores no Instagram, ela viu boa parte deles (cerca de 35 mil) procurarem por ela com o início de “Pantanal”:

— Eu estou muito feliz porque é uma novidade para mim. Uma personagem importante numa novela das nove, nunca tinha vivido isso antes. Madeleine me dá acesso a muito gente que só está conhecendo meu trabalho agora. A popularidade que a TV traz é algo novo para mim. Estou tentando aproveitar esse momento da melhor maneira.

Com sua participação na novela já toda gravada, a atriz, natural de Petrópolis, na Serra Fluminense, sente-se mais à vontade para refletir sobre a trajetória e a personalidade de Madeleine.

— É sempre difícil para mim não criticar a personagem (risos). Mas acredito que as pessoas não devem gostar dela mesmo! A novela está mostrando de uma maneira trágica a futilidade que pode existir em uma vida de privilégios. É claro que não estou romantizando a pobreza, sou contra essa crença. Mas elas (a família de Madeleine) ficam só administrando um dinheiro para qual não fazem nada para receber, não trabalham para ter. Madeleine é o retrato de uma elite fútil, sem nenhuma consciência social e política. Eu a considero um exemplo do que existe de ruim — afirma a atriz, que, sobre o desfecho da personagem (na trama, ela morrerá num acidente aéreo), prefere não entregar muito e adianta: — Daqui a pouco nos despedimos dela, mas, para quem quiser ver o meu trabalho, tem mais coisa vindo por aí.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos