Sem notícias há três dias, família suspeita que entregador tenha sido capturado por traficantes na Zona Norte do Rio

Carolina Heringer e Marcos Nunes
·2 minuto de leitura
Arquivo pessoal / Reprodução

RIO — Morador de Acari, na Zona Norte do Rio, o entregador de farmácia Douglas de Oliveira Figueiredo, de 20 anos, está desaparecido desde a última sexta-feira, dia 29 de janeiro. A família suspeita que o rapaz, que trabalha em uma rede de farmácias, tenha sido capturado por traficantes em Coelho Neto, após ter sido confundido com um criminoso de uma facção rival.

De acordo com informações de familiares, na última sexta-feira Douglas estava trabalhando em uma das lojas que fica próxima ao Morro Jorge Turco, em Rocha Miranda. O rapaz desapareceu após ter ido fazer uma entrega na Rua Guaxindiba, em Coelho Neto. A via corta comunidades controladas por facções rivais.

Familiares tiveram informações de que criminosos pensaram que Douglas fazia parte de uma quadrilha rival e de que estaria na localidade para obter informações sobre o grupo.

Bandidos chegaram a gravar um vídeo onde o rapaz é interrogado. Na gravação, que circula em redes sociais, o jovem aparece assustado e com sangue no rosto. Nesta segunda-feira, dia 1º, policiais da 39ª DP (Pavuna) fizeram buscas pelo entregador, mas ele não foi localizado. Douglas tem um filho de 2 anos e será pai pela segunda vez, ainda este mês. A família do jovem fez um apelo pedindo informações para encontrar o entregador.

— Estamos desesperados com isso tudo que está acontecendo. O Douglas é um menino bom que nunca teve problemas com a polícia e jamais se envolveu com coisa errada. Vai ser pai pela segunda vez a qualquer momento. A esposa dele está para dar a luz. Estamos todos a poder de remédios. Tudo o que queremos é saber o que aconteceu. Por favor, nos ajudem com alguma informação — disse um parente do rapaz.

Um familiar disse que ainda tem esperanças de encontrar Douglas com vida.

— Ainda temos esperanças sim de encontrar o Douglas vivo. Ninguém na família está conseguindo dormir com este problema — disse o parente do rapaz.