Sem oportunidades no mercado formal, trabalho autônomo cresce na pandemia

Pollyanna Brêtas e Stephanie Tondo
·8 minuto de leitura

Os impactos da pandemia no mercado de trabalho formal levaram a um crescimento da busca por atividades autônomas em 2020. A plataforma GetNinjas, que reúne prestadores de serviços de todo o país, registrou um aumento de 209% no número de profissionais cadastrados entre março do ano passado e janeiro de 2021. Já o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-RJ) identificou um crescimento de 13% no volume de registros em 2020, em relação a 2019.

Para o presidente do Creci-RJ, Manoel da Silveira Maia, uma das explicações para a entrada dos novos corretores no mercado é a dificuldade de encontrar emprego.

— Muitos podem ter vislumbrado uma readequação ao mercado através da profissão de corretor de imóveis. Além disso, o mercado imobiliário tem mostrado excelente recuperação, gerando oportunidades — aponta.

A taxa de desemprego ficou em 14,1% no trimestre encerrado em novembro de 2020, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada no final de janeiro pelo IBGE. No entanto, o número de pessoas ocupadas aumentou 4,8% no período, impulsionado pelo mercado informal: o número de empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada cresceu 11,2%.

Entre esses profissionais está Rafael José Lima Santos, de 31 anos, que decidiu se tornar corretor no ano passado, após perder o emprego em uma concessionária de veículos que faliu na pandemia. Ele investiu em um curso preparatório e conseguiu o registro no Creci-RJ em pouco tempo:

— Comecei a trabalhar em dezembro. É um investimento que vale a pena, porque te leva para um futuro bom.

Diretor de produtos do GetNinjas, João Oliveira afirma que a pandemia influenciou de duas formas o aumento do número de profissionais cadastrados na plataforma: de um lado, existe a dificuldade de encontrar vagas no mercado formal. E, de outro, o fato de as pessoas estarem mais tempo dentro de casa impulsionou a demanda por alguns serviços. Os profissionais mais procurados por clientes no aplicativo ao longo do período foram pedreiros, mudanças e carretos, além de técnicos de televisão, técnicos de celular e eletricistas.

— Existe uma demanda de 400 a 500 pedidos por mês de clientes que precisam de serviços oferecidos na plataforma. E percebemos um crescimento também dos serviços à distância. Quem imaginava antes fazer uma aula de música on-line ou até mesmo um personal trainer? A forma como a gente vivia antes da pandemia não existe mais, e as pessoas têm adquirido novos hábitos, que criam também novas oportunidades — diz Oliveira.

Diretora de vendas Natura, Cida Franco conta que o número de consultoras cadastradas aumentou 12,8% no terceiro trimestre de 2020, em relação ao mesmo período de 2019. Nesses meses, a empresa percebeu também um aumento do volume de negócios de 14%, apontando para um aumento na produtividade das revendedoras.

— Em situações de desemprego em alta nós sempre percebemos uma procura maior de pessoas que precisam complementar a renda — afirma a executiva, acrescentando que a pandemia estimulou a busca pela venda direta, com o consumidor evitando o comércio de rua e os shoppings.

Para a estudante de Pedagogia Glaucia de Oliveira Alves, de 22 anos, trabalhar como consultora foi a chance de conseguir sua independência financeira mesmo em um ano de crise econômica no país. Antes da pandemia, ela dava aulas particulares para crianças, mas precisou interromper o trabalho por causa do vírus.

— Hoje, como consultora, consegui dobrar a renda que eu tinha com o reforço escolar.

Um dos principais desafios do trabalho autônomo é a organização financeira e saber se planejar com uma renda variável. Além disso, é essencial analisar os valores cobrados pelos seus serviços — transporte e alimentação, por exemplo, precisam estar incluídos no preço do seu serviço. Segundo especialistas, é necessário colocar todos os gastos na ponta do lápis e fazer os cálculos para conseguir definir que valor será cobrado. Para aumentar as chances de conseguir ter sucesso com a atividade, o autônomo deve desenvolver a capacidade de olhar criticamente para seu trabalho.

— Ele precisa conhecer sua capacidade técnica e qualidade do serviço, até para precificar o tempo e o trabalho — avalia Wagner Salles, professor de Recursos Humanos da Universidade Veiga de Almeida (UVA).

Especialistas também sugerem que o profissional deve fazer contribuição mensal para o INSS para garantir não somente a aposentadoria, mas também auxílio doença e licença maternidade.

Entrevista com Luiz Barbieri, coordenador do MBA em Gestão do Ibmec/RJ

Como o profissional pode identificar que é hora de apostar em uma nova função ou carreira?

O primeiro passo é ter alto conhecimento, saber quais são seus pontos fortes, escolher algum tipo de afinidade e competência. Reconhecer os aspectos comportamentais e técnicos. O que você sabe fazer bem? A partir disso, selecionar um tipo de investimento técnico para seguir e estudar.

Quais áreas estão em alta?

Oferecer aulas on- line em diversas áreas, marketing digital, desenvolvimento de aplicativos, central de atendimento e suporte, e assistência técnica, cuidado de pet, manutenção de computador, sobremesa e alimentício, massagista autônomo.

Quais são os desafios?

O principal é saber qual vai ser o diferencial. Já tem muita gente fazendo tudo, por isso é preciso encontrar algo diferente. A pessoa também tem que perder a vergonha e deixar que os outros saibam que você está disponível no mercado e quer quer trabalhar. Também tem muitos profissionais entrando na área de representante comercial e vendas, e de corretor de imóveis, nas quais não é exigida graduação, mas curso técnico e experiência. O mercado mudou e o profissional tem que entender isso, e considerar que precisa inovar e se qualificar.

GetNinjas

Em 2020, os tipos de serviços oferecidos pelo GetNinjas passaram de 200 para 500 opções, impulsionados pela pandemia e a necessidade de adaptação para serviços on-line. Atualmente, cerca de 2 milhões de profissionais estão cadastrados no app. As categorias em que houve mais cadastros de profissionais neste período foram: babá, diarista, pintor, eletricista e encanador. Interessados podem se cadastrar em www.getninjas.com.br.

Natura

A empresa investiu nas vendas digitais em 2020, com a criação de ferramentas para estimular as consultoras a divulgarem os produtos pelas redes sociais e pela loja virtual criada no próprio site da Natura. “A gente tem um modelo de negócios que está sempre ativo para quem quer iniciar a atividade como consultora Natura. O processo de adesão é bastante fácil. Basta fazer o cadastro on-line e, nesse momento, automaticamente o site já faz a abertura da loja on-line da consultora”, explica Cida Franco, diretora de vendas da Natura. Para mais informações, interessados podem acessar www.natura.com.br e clicar na aba “Consultora”, selecionando a opção “Quero ser consultora”.

Avon

A empresa manteve o número de 1,3 milhão de revendedoras em 2020. Para este ano, a empresa quer implementar a revisão do modelo comercial. “Esse aprimoramento tem caráter estratégico e visa mais agilidade e eficiência. Ele também oferecerá mais benefícios às revendedoras conforme aumentam suas vendas e contará com parcerias renomadas nos ramos de Educação, Saúde e Soluções Financeiras”, informou a empresa. Interessadas podem se cadastrar em www.avon.com.br e acessar a aba “Revenda Avon” no topo da página.

Loft

A empresa está em busca de corretores parceiros. Basta o profissional se cadastrar no site www.loft.com.br/corretor-de-imoveis. A Loft oferece programas de incentivos, com ganhos financeiros para o profissional, e reconhece os corretores com melhores performances. Segundo a empresa, um corretor parceiro consegue obter ganhos financeiros mesmo antes de finalizar a negociação de compra de um imóvel. A startup paga R$ 100 por visita realizada e R$ 1 mil quando comprador e vendedor assinam a proposta preliminar, chamada de Compromisso de Compra e Venda (CCV). Além disso, a Loft também recompensa com R$ 500 o corretor que leva o seu cliente a anunciar um imóvel para vender na plataforma.

“Além de treinar o corretor parceiro, oferecemos sessões de capacitação e temos um canal de atendimento dedicado a esses profissionais. Estamos sempre em busca de novos parceiros já que a Loft está investindo em densidade nos bairros em que já atua no Rio de Janeiro. Temos campanhas de incentivo para que os corretores possam se desenvolver e conseguimos fornecer a eles uma previsibilidade de ganho real, já que pagamos por visita e por propostas. Isso faz com que os corretores queiram sempre melhorar sua performance”, explica Bartolomeu Cavalcanti, Gerente Geral da Loft no Rio.

Em mais uma iniciativa de incentivo voltada para os corretores, a Loft acaba de lançar a campanha ‘Corretor tem sorte na Loft’, que está sorteando R$ 20 mil em prêmios, como smartwatches, um celular e um laptop, além de uma viagem para o Nordeste com acompanhante. Os sorteios ocorrem todas as semanas, durante três meses. A campanha, que vai até o fim de março, já contemplou, até agora, três profissionais com smartwatches.

Uber

A plataforma de transporte por aplicativo cadastra motoristas parceiros. Para se inscrever e trabalhar com o sistema, é necessário: ter CNH

realizar exames, pagar uma taxa e incluir na CNH uma observação chamada de EAR (Exerce Atividade Remunerada). Além disso, é preciso ter acesso a um carro, um smartphone e um plano de telefonia com internet móvel. Os interessados devem preencher o cadastro na página uber.com/dirija. Também é preciso ter a validação da checagem gratuita de antecedentes criminais. Segundo a empresa, entre julho e dezembro de 2020, o percentual médio cobrado pela Uber pela intermediação de cada viagem no Rio ficou abaixo dos 9%.

Creci-RJ

Para se tornar um corretor de imóveis, é preciso concluir o curso técnico em Transações Imobiliárias (TTI) ou o curso superior de Gestão Imobiliária. Em seguida, o profissional deve dar entrada no registro no Creci-RJ, apresentando os documentos e o recolhimento das taxas previstas. Será enviado ofício agendando data e local para entrega das cédulas profissionais. O profissional deverá participar da sessão plenária e ler o juramento profissional. Mais informações em www.creci-rj.gov.br.

iFood

Há cerca de 150 mil entregadores ativos na plataforma atualmente. Mais informações em entregador.ifood.com.br.