Sem patrocínio, Carol Solberg diz que joga 'com a corda no pescoço, matando um leão por dia'

Extra
·1 minuto de leitura

Absolvida em novembro pelo STJD por ter gritado "Fora, Bolsonaro" ao conquistar a medalha de bronze do Circuito nacional de vôlei de praia, Carol Solberg se viu sem patrocínio.

"Sei que fechei as portas com as marcas que não querem se envolver com política. Mas tem o outro lado: existem empresas que apoiam quem se posiciona", disse a atleta, de 33 anos, à "Veja".

Nessa nova fase, a jogadora está pagando do próprio bolso cinco profissionais que fazem parte da sua equipe de treinamento. E disse que joga "com a corda no pescoço, matando um leão por dia".

"O que desejo é ter a liberdade de falar o que eu quiser, quando quiser".