Sem prever no Orçamento, Bolsonaro promete aumentar salário mínimo para R$ 1.400

O presidente Jair Bolsonaro (PL) iniciou o debate TV Globo com uma nova promessa de aumento do salário mínimo, para R$ 1400 em 2023. O valor, no entanto, não está previsto no Orçamento para o próximo ano enviado pelo seu governo ao Congresso em agosto, e Bolsonaro tampouco disse como concederá o reajuste.

Debate na Globo: Lula e Bolsonaro fazem último embate do segundo turno; colunistas comentam

Sonar: Bonner 'ganha direito de resposta', e internautas dizem que jornalista venceu o debate na Globo

Logo após a menção do aumento no debate, aliados do presidente passaram a publicar uma imagem com a promessa de Bolsonaro nas redes sociais.

Na reta final da eleição, o tema se tornou uma das principais preocupações, após uma divulgação de uma proposta do ministro da Economia Paulo Guedes de desvincular o salário mínimo da inflação. Diante da repercussão negativa, a campanha negou que a proposta estivesse em avaliação.

— Mesmo com pandemia, falta d'água e outras crises, concedemos reajustes para aposentados e majoramos o salário mínimo. Tanto é verdade que acertamos a economia que eu posso anunciar: a partir do ano que vem novo o salário mínimo será de R$ 1400.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cobrou Bolsonaro por ao longo dos quatro anos não ter concedido aumento real para ao salário mínimo. No período, o governo concedeu apenas a correção da inflação.

Em agosto, o governo federal enviou ao Congresso Nacional a proposta de um salário mínimo de R$ 1.302 para 2023. O valor representa uma alta pouco maior que 7,41%, que é a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano. O salário mínimo atual, de R$ R$ 1.212,