Sem provas, Tarcísio questiona aprovação de câmeras corporais usadas por PMs em SP

Tarcísio também falou sobre a aliança com partidos envolvidos em corrupção e apontou ter um “datapovo” que rejeita a medida da implantação de câmeras nas fardas da PM. (REUTERS/Adriano Machado)
Tarcísio também falou sobre a aliança com partidos envolvidos em corrupção e apontou ter um “datapovo” que rejeita a medida da implantação de câmeras nas fardas da PM. (REUTERS/Adriano Machado)
  • Tarcísio de Freitas questiona aprovação da população na implementação de câmeras em PMs;

  • Candidato ao governo de SP disse ter um "datapovo" que contraria as pesquisas;

  • Sem apresentar provas, ele disse que criminalidade aumenta com a medida.

Tarcísio de Freitas, candidato ao governo de São Paulo pelo Republicanos, duvidou das pesquisa que mostram aceitação de mais de 90% na implementação de câmeras corporais em policiais militares no estado. Em entrevista ao g1 nesta segunda-feira (12), ele disse ter um “datapovo” que contraria tais resultados.

“Interessante esse aprovado por mais de 90% da população paulista, porque toda vez que estou em reunião com as pessoas, eu coloco essa questão”, apontou. “Se eu coloco o policial em desvantagem em relação ao bandido, nós temos um problema. [...] Eu tenho que prestigiar o policial, a sociedade tem que perceber que a polícia está sendo valorizada e toda vez que eu coloco isso as pessoas respondem muito positivamente".

O candidato também disse que a incidência de crimes nas áreas protegidas por batalhões que usam as câmeras corporais é maior do que nas áreas com profissionais sem câmeras. No entanto, não apresentou nenhuma prova ou dado concreto que confirme a análise.

Corrupção

Durante o papo com os jornalistas do g1, Tarcísio afirmou não ver contradições em ter o PL e o PTB, envolvidos em escândalo de corrupção, em sua base aliada. “Acredito em equipe e estou com equipe bem montada. O fato de ter pessoas que se envolveram em problemas, que fazem parte de partidos que estão na minha aliança, não significa absolutamente nada”.

Ele ainda disse entender que “todos os partidos têm pessoas que passam por problemas” e que isso é algo que permeia a política brasileira. “Nós temos lá uma pessoa que passou por problemas, pagou o que devia à justiça e ele sabe que não tem conversa com o presidente da república que é absolutamente intolerante com a corrupção assim como eu também."

Na entrevista, Tarcísio fez propostas para diferentes áreas. Na educação, prometeu triplicar o número de escolas em tempo integral e dar auxílios de R$ 120 ao longo de 12 meses aos estudantes do ensino médio. No âmbito dos transportes, garantiu não elevar os preços das passagens no primeiro ano de governo e, no que diz respeito às moradias, destacou o desejo de “chegar no fim do governo sem morador de rua”.

Conforme a última pesquisa do Ipec, o candidato do Republicanos está em segundo lugar na corrida eleitoral, com 21% das intenções de voto. Em primeiro lugar, aparece Fernando Haddad (PT), com 36%.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)